Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O início da 2ª Liga

por P1nheir8, em 08.08.15

 

Começou ontem a caminhada dos jovens do Benfica B na 2ª liga. Nesta abertura, a equipa B deslocou-se a Olhão para defrontar o Olhanense. O resultado final foi de 1-1, com os jovens benfiquistas a serem muito superiores, principalmente na 2ª parte, valendo aos algarvios a grande exibição do seu guarda-redes.

 

Esta equipa B do Benfica é muito jovem, mas com muito talento. Neste jogo vimos vários jogadores que ainda são juniores a jogarem a titulares. Estes jogadores estão a queimar etapas e é muito bom que encontrem maiores dificuldades no jogo, para se desenvolverem.

 

O jogo foi jogado num campo que é um autêntico batatal. A liga devia preocupar-se tanto com estes relvados como se preocupa com os sintéticos, pois um campo naquele estado consegue ser ainda pior que um sintético. Muito difícil a missão para o Benfica num campo daqueles, visto serem jogadores muito mais técnicos e uma equipa que joga mais em posse.

 

Foi um bom jogo do Benfica. As laterais defensivas, assim como na equipa A, são o ponto menos forte da equipa. Alexandre Alfaiate é um central de origem e dá pouca amplitude. Rebocho na esquerda é muito lutador, mas precisa de evoluir muito mais. João Nunes é um jogador que sempre gostei muito, desde que o vejo nas camadas jovens do Benfica. É um líder natural, mostrou-o neste jogo, sempre a comandar a defesa e a definir as subidas ou descidas da defesa. Fez dupla de centrais com Lysctov, e não estiveram mal, pese algumas dificuldades de entrosamento entre os dois. João Nunes vem de um Mundial de Sub-20 onde esteve fantástico, e este ano terá oportunidade de mostrar todo o seu valor, caso queira um dia chegar à equipa principal.

 

O trio do meio-campo que jogou neste jogo é muito forte, apesar de ter dois juniores, Renato Sanches e João Carvalho. Paweł Dawidowicz é o jogador mais recuado, aquele que jogou na frente da defesa e começa a primeira fase de construção. Como é seu hábito, esteve muito forte no desarme, mas precisa de evoluir muito no passe, ser mais rápido e ser mais assertivo. Sou um grande admirador de Renato Sanches e João Carvalho. Renato é um portento físico, é um jogador que ainda é júnior e ontem aos 90 minutos de um jogo de seniores andava a fazer piscinas de uma área à outra. Fisicamente raramente perde um lance, mas tenho notado que ainda não conseguiu nos últimos anos dar aquele passo em frente na parte técnica, e que tanta diferença podia fazer. A sua capacidade de transportar jogo com a bola no pé é muito forte. Perde é ainda várias bolas, não tomando muitas vezes a opção mais correcta, mas até apareceu melhor no passe. Ainda é novo, tem ainda tempo para melhorar e será naturalmente um dia jogador de equipa principal. João Carvalho é um jogador muito dotado tecnicamente e super inteligente. Sabe fazer tudo em campo, e bem. Sabe aparecer onde deve, temporizar, fazer grandes passes, driblar, e isto tudo aliado a ser o jogador mais inteligente da equipa, faz a diferença. Tem algumas fragilidades físicas, mas consegue fazer com que isso não se note muito. Finalmente, parece que ser mais forte fisicamente ou ser mais rápido, não é importante para decidir quem joga na formação do Benfica.

 

Na frente jogaram Victor Andrade e Diogo Gonçalves nas alas e Sarkic a avançado. Andrade é um jogador que se nota ter mais andamento que os outros, mas é muito previsível, acaba por fazer sempre o mesmo, e perde muitas bolas, mas quem o viu no ano passado e o vê agora, nota uma grande melhoria. Diogo é um extremo mais objectivo, que tem sempre a baliza em mira, e num jogo de tanta posse e tentativas de desequilíbrio nas alas, a equipa ressente-se um pouco com a previsibilidade que ele dá. Sarkic também ainda precisa de melhorar mais, pois ainda tem muitas dificuldades perante a marcação dos centrais, o que é normal para um jogador tão jovem e com menos poder físico que os centrais. Tem movimentos muito interessantes e finaliza com qualquer pé.

 

Hélder também mexeu bem na equipa. Entraram Hildeberto, Clésio e Elbio Álvarez durante a segunda parte, e a equipa melhorou. Tenho esperanças em Hildeberto Pereira, pode fazer a diferença na frente, mas precisa de ganhar outras coisas no seu jogo e não fazer apenas a diferença na sua explosividade e capacidade física.

 

Gostei do jogo que vi, é sempre bom ganhar, mas neste momento não é o mais importante para estes jovens. Importante é eles crescerem, terem dificuldades que pela primeira vez muitos sentem ao colocar o seu futebol em campo. A capacidade que eles têm precisa de ser posta à prova, é preciso que eles percebam o que têm de fazer para continuarem a fazer a diferença no futebol sénior, pois aí as facilidades não são as mesmas que na formação. 

 

É continuar a trabalhar assim, talento há muito. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:55


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Sobre nós

Do futebol ao hóquei, do basquetebol ao voleibol, uma visão livre, imparcial e plural do Sport Lisboa e Benfica.



Contacte-nos por e-mail


Licença Creative Commons


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D