Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Made in Benfica - Pedro Rodrigues

por P1nheir8, em 07.10.16

 

Foi a 11 de Dezembro do ano passado que escrevi aqui, pela primeira vez, sobre Pedro Rodrigues. Na altura, e no seu último ano de júnior, subiu para a equipa B, mas não era opção regular nessa mesma equipa, baixando por vezes para jogar nos juniores. Naquele artigo, alertava para a necessidade de um talento destes precisar de jogar, nesta fase do seu desenvolvimento, num nível superior e a não estar parado, pois não jogava num escalão nem no outro com regularidade.

 

A indefinição manteve-se durante mais algum tempo e, só já bem perto do final de temporada, o jogador começou a ser utilizado com maior regularidade na equipa B, acabando o ano competitivo a bom nível. Esta época, continua nessa mesma equipa, mas as coisas mudaram. É totalista daquela equipa, fazendo todos os minutos até agora. Não é apenas o tempo que joga, mas a qualidade que tem mostrado nesses jogos que importa destacar. É, até este momento, o melhor jogador da equipa B neste arranque de época, fazendo jogos fantásticos e sendo um dos melhores jogadores da Ledman Liga Pro.

 

Como Rúben Dias e Guga Rodrigues (os últimos jogadores aqui analisados), Pedro Rodrigues também pertence à fantástica geração de 1997. Chegou ao Benfica ainda muito novo e tem brilhado em todos os escalões por onde tem passado. No Verão anterior, representou a selecção nacional no Euro sub-19, onde esteve em bom plano, como por exemplo no jogo contra a Alemanha em que, com bola, a partir da posição 6, deu um recital (também mereceu destaque aqui no blogue, juntamente com o João Carvalho). Também neste Verão passado, apesar de ser ainda sub-19, representou a selecção de sub-20 no torneio de Toulon. Mais recentemente, foi naturalmente convocado para o estágio da selecção de sub-20, mas devido à lesão de André Horta, Rui Jorge decidiu chamar o jovem médio para o escalão acima, inserindo-o desta feita nos trabalhos dos sub-21.

 

 

 

Pedro Rodrigues joga como médio defensivo, mas é um pouco diferente da ideia que muita gente tem de um jogador que faz aquela posição. Ele não é um destruidor de jogo, que está ali apenas para roubar bolas e estancar os ataques adversários, mas sim um construtor e criador do jogo ofensivo da sua equipa. Nessa vertente, a jogar com bola e a pensar o jogo, é do melhor que apareceu, desde sempre, em Portugal.

 

Anda pelo campo sempre de cabeça levantada e percebe, assim, o que pode ou não pode fazer quando recebe a bola, sabendo sempre os posicionamentos dos colegas de equipa e adversários. É um jogador que tem uma visão de jogo inacreditável, que consegue ver linhas de passe onde poucos conseguem e que faz tudo aquilo com uma tremenda sensação de facilidade. A sua capacidade de passe é notável. A 2, 5, 10 ou 40 metros, a bola sai sempre redonda do seu pé direito (também usa o esquerdo, mas o direito é o mais forte) e vai quase sempre ajustada ao que é preciso, caindo redonda junto aos seus companheiros ou da forma que mais se ajusta ao lance (ou mais para o pé ou mais avançada, para aproveitar o espaço que o colega tem para receber adiantado). Coloca imensas bolas dentro do bloco adversário, deixando os companheiros de equipa enquadrados nessas zonas, assim como tem uma tremenda facilidade em virar o flanco com qualidade e também em colocar a bola nas costas da defesa contrária. Os seus passes verticais queimam constantemente linhas adversárias e ele arranja quase sempre maneira de os fazer. Vê muitas soluções, mas procura sempre a melhor e a que, na teoria, colocará a equipa mais próxima do sucesso, e não aquela que é mais fácil. Sabe gerir os ritmos de jogo, quando deve acelerar ou quando tem de dar primazia à segurança, guardando assim o esférico.

 

É forte nas combinações com os colegas de equipa e muitas vezes entrega logo de primeira já que, na cabeça dele, a solução já estava encontrada antes de receber. Move-se muito bem em campo para dar linha de passe aos colegas e tenta nunca os deixar sem solução de passe. Não é um jogador que progrida muito com a bola, apesar de por vezes o tentar fazer. Como já disse, ao nível do passe é muito bom, mas em outros capítulos técnicos também o é como na recepção, no controlo de bola ou até mesmo na forma como consegue sair no drible curto (apesar de nunca com muita velocidade). Outro capítulo onde é muito forte é no remate, embora considere que possa ainda melhorar a forma como o faz e passar a fazê-lo mais vezes durante o jogo, já que tem um pontapé com muita qualidade. Os duelos aéreos no meio-campo são algo onde também pode melhorar, já que tem uma boa estatura para ganhar mais do que aqueles que consegue por agora. É uma opção muito válida para os lances de bola parada. Bate muito bem livres (frontais e laterais), assim como cantos ou grandes penalidades.

 

 

 

 

A parte defensiva sempre foi o seu calcanhar de Aquiles, já que era pouco agressivo e facilitava em muitos lances, abstraindo-se dessas disputas. Fruto destes estímulos maiores a nível sénior, tem melhorado nesse aspecto. É claro que nunca vai ser um Fejsa, porque as características dele não são essas, mas está melhor que no passado. O seu posicionamento em campo também está melhor. Faz várias coberturas ofensivas e ocupa bem o corredor central, mas precisa ainda de por vezes bascular mais rápido para o lado da bola e fazer as coberturas defensivas aos colegas, já que em algumas situações ainda o demora a fazer.

 

Fisicamente, não é um jogador dotado de grande velocidade e aceleração e, devido a isso, tem dificuldades em, por vezes, recuperar defensivamente caso esteja adiantado. Tem alguma agilidade e um bom volume corporal, o que o ajuda a proteger a bola e em duelos mais físicos (onde ainda se esconde muitas vezes). Não tem medo de assumir nada em campo e tem uma maturidade acima da média. Gosta de ter a bola e comandar a sua equipa, sendo também um elemento muito inteligente, calmo, concentrado e que lida bem com a pressão.

 

Pedro Rodrigues tem um potencial extraordinário e é um dos meus jogadores preferidos da formação do Benfica. O que ele faz a partir daquela posição 6, é o que mais gosto de ver e o que, na minha opinião, deve ser o 6 de uma equipa grande, que tem sempre muita bola. Claro que o jogador não terá o mesmo rendimento inserido em qualquer modelo de jogo, já que esse modelo terá de proteger as suas fraquezas e tentar evidenciar as suas enormes valias. Se isso acontecer, o rendimento dele será assombroso, já que o potencial e qualidade que tem está ao nível dos melhores. Oxalá o Benfica aproveite isso e ele continue a trabalhar e evoluir, conseguindo depois agarrar as oportunidades que surgirão, já que tem mais que capacidades para o fazer.

 

 

Vídeo feito por mim sobre o Pedro Rodrigues. Se quiserem subscrever o canal do blogue no YouTube, como agradecimento, ficaríamos muito satisfeitos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:37


1 comentário

De Rui a 08.10.2016 às 12:34

este menino é um tratado de bola, defensivamente tem que dar mais mas com bola é um regalo para a vista.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Sobre nós

Do futebol ao hóquei, do basquetebol ao voleibol, uma visão livre, imparcial e plural do Sport Lisboa e Benfica.



Contacte-nos por e-mail


Licença Creative Commons


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D