Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Made in Benfica - João Carvalho

por P1nheir8, em 17.10.16

 

Natural de Castanheira de Pera, João Carvalho tem passeado todo o seu enorme talento nos relvados do Caixa Futebol Campus, isto depois de ter chegado em tenra idade ao Benfica.

 

Aos 19 anos, e no seu primeiro ano de sénior, é titularíssimo na equipa B do Benfica. Contudo, não se pense que apenas este ano rumou ao futebol sénior, já que está nesta equipa B desde 2014/2015. Se há dois anos fez 19 jogos (principalmente na 2ª metade da época), no ano passado fez 41, baixando aos juniores apenas para disputar os jogos da UEFA Youth League, onde o Benfica acabou por ser eliminado pelo Real Madrid.

 

Também nas selecções mais jovens tem sido aposta. Conta com internacionalizações nos vários escalões de formação e, neste passado Verão, esteve a representar Portugal no Europeu Sub-19, na Alemanha, onde esteve a bom nível. Recentemente, e mesmo sendo ainda sub-20, Rui Jorge chamou-o para os jogos da selecção sub-21, dando-lhe bastantes minutos e duas titularidades. João Carvalho não se fez rogado, pois em três jogos apontou dois golos e fez boas exibições. Também Rui Vitória já chamou o jovem médio para o embate contra o Besiktas, na Liga dos Campeões, apesar de depois ter ficado na bancada.

 

 

 

 

João Carvalho joga como médio ofensivo, mas também pode jogar num corredor lateral, fazendo vários movimentos para o interior. Por exemplo, da forma como joga a equipa A, é um jogador que pode perfeitamente fazer (e com muita qualidade) os movimentos que vemos Pizzi demonstrar em campo, partindo do exterior para o interior, onde depois desequilibrará. Tem uma percepção fantástica daquilo que é o jogo, tomando quase sempre a melhor opção das muitas que consegue percepcionar. Joga sempre de cabeça levantada, percebendo o que o rodeia e antecipando as acções dos restantes jogadores. Tem evoluído muito ao longo do tempo, já que ainda há alguns anos atrás estava menos desenvolvido que alguns colegas da sua geração, como Guga Rodrigues, Renato Sanches, Pedro Rodrigues ou mesmo Yuri Ribeiro. Chegou a ser, inclusivamente, suplente do meio-campo formado por Pedro, Guga e Renato.

 

Fisicamente, não é muito alto nem tem um corpo robusto, o que lhe trouxe algumas dificuldades em escalões mais jovens, já que estava constantemente a jogar contra jogadores com índices físicos mais desenvolvidos (e talvez por isso tenha sido algumas vezes preterido). Contudo, isso foi em certa medida positivo, pois ajudou-o a crescer, já que foi percebendo o que tinha de fazer para contornar esse handicap. Tem uma agilidade tremenda, o que o ajuda em muitos contextos que encontra no jogo, tendo também boa aceleração e velocidade.

 

É um jogador muito elegante em campo e tem uma excelente relação com a bola (o pé direito é o seu mais forte). É dono de uma admirável capacidade de passe, de boa condução de bola, de recepções deliciosas, de dribles curtos com qualidade e de tantos outros pormenores que deixam água na boca. Apesar de ser bom a transportar a bola, esse não é o seu movimento preferencial, sobretudo pelo campo inteiro e a tentar driblar a equipa adversária toda, sendo mais forte em espaços mais curtos, onde sai muito bem e coloca em prática toda a sua capacidade de pensar o jogo a uma velocidade incrível. A sua preferência é mesmo por um jogo triangulado, de combinações e dinâmico, em vez de um de transporte e transições sucessivas, embora também apresente qualidade na transição ofensiva, fundamentalmente devido à sua capacidade decisória. O seu remate e a forma como finaliza é algo que precisa de melhorar, já que aparece bem em zonas de finalização, necessitando depois de ser mais assertivo e frio. Devido à sua baixa estatura, consegue ganhar poucos duelos aéreos, mas não se cansa de o tentar fazer.

 

 

 

 

Movimenta-se muito bem no campo e tem uma excelente percepção de onde deve estar e daquilo que o jogo pede. Sabe quando tem de acelerar ou travar, e percebe onde tem de procurar a bola. Tem jogado a partir do corredor central, mas aparece muitas vezes nos corredores laterais durante o jogo, dando aí também soluções aos colegas de equipa. Pensa tudo a uma grande velocidade, com uma grande criatividade e juntamente com Pedro Rodrigues são jogadores que conseguem encontrar quase sempre a melhor solução para a sua equipa e que se entendem muito bem. Gosta de ter a bola em sua posse e não tem receio de a ter, mostrando-se aos colegas de equipa. Tem qualidade a avançar com o esférico e a fixar os adversários, entregando de seguida ao colega de equipa que está bem posicionado para receber e já sem oposição.

 

Defensivamente, tenta sempre ajudar a equipa a recuperar a bola, sendo normal que muitas vezes o vejamos no seu meio-campo defensivo a auxiliar os seus companheiros. Nos duelos onde os adversários colocam o corpo tem naturalmente dificuldades, mas é rápido a reagir à perda da bola e a ler onde muitas vezes os passes adversários vão entrar. Por vezes, ainda desaparece do jogo, precisando de conseguir manter-se mais constante durante os 90 minutos. Devido a isto e ao facto de não ser um jogador que passe o jogo todo a correr, muitos adeptos ainda não lhe dão o devido valor. Tem um perfil silencioso, não se envolve em problemas no campo, mostrando também uma grande maturidade. Apesar de toda a sua qualidade, não joga para ele próprio ou para a bancada, sendo um jogador de equipa.

 

João Carvalho é um dos maiores talentos do Benfica e até acho que já devia ter tido vários minutos na equipa principal, pois é um jogador com capacidades muito acima da média. Claro que também não entrará em qualquer estilo de jogo, já que as suas capacidades pedem um jogo mais de posse, onde ele terá bola para criar e desequilibrar (e tem enormes capacidades para o fazer) e não um estilo de jogo de pontapé para a frente. Esta já é a 3ª época do jogador na equipa B e há que pensar seriamente em fazer subir o jogador de patamar, dando-lhe outros estímulos, pois a sua qualidade é inegável e é, certamente, um jogador de futuro para o Benfica.

 

 

 

Vídeo feito por mim sobre o João Carvalho. Não se esqueçam de subscrever o canal do blogue no YouTube, e de ver os restantes vídeos dos jogadores Made in Benfica!

 

 

Primeiro, gostaria de agradecer a todos os que têm passado por cá e tornado esta rubrica um enorme sucesso. Em segundo lugar, quero também expressar o meu desagrado para com as pessoas que vêm aqui ao blogue ler o que escrevo, e que depois se apoderam indevidamente das minhas ideias, palavras e/ou expressões, reproduzindo os conteúdos, nos seus espaços, como se fossem delas. É uma situação chata, pois estas análises (e outras) não se fazem em poucos minutos, mas são o resultado de muitas horas de trabalho. Tenham atenção que, na barra lateral do blogue, estão os termos para a utilização, adaptação e reprodução do nosso conteúdo, que implicam a creditação dos mesmos. Por isso, tenham em consideração o trabalho que os outros têm e, caso utilizem informação do blogue, façam-no de forma justa, dando os respectivos créditos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:36


1 comentário

De bcool973 a 19.10.2016 às 09:34

Boas Pinheiro,

Falar do João Carvalho e do Pedro Rodrigues para mim é falar do melhor que já saíu do CFC. O talento, a inteligência, a leitura de jogo, a imprevisibilidade são traços marcantes destes jogadores a fazerem lembrar o menino Bernardo. Tenho pena que à semelhança dele, pareça não haver espaço na equipa sénior para estes talentos ainda não devidamente reconhecidos.

Para mim, a permanência esta época do João e do Diogo são puras perdas de tempo em termos da evolução dos jogadores. Com os jogos que já têm disputados na segunda liga, este patamar competitivo pouco mais pode fazer por eles em termos de estímulos que não seja promover a estagnação e a contribuir para criar maus vícios, nomeadamente a tentativa de resolução individual dos problemas que devem ser resolvidos de maneira colectiva, bem como adaptar o jogador a um ritmo que é manifestamente baixo para as exigências da alta competição.

Tenho para mim que o péssimo desempenho da equipa B na época passada motivou essa decisão, bem como a falta de espaço na equipa principal. Espero que em Janeiro essa situação seja corrigida e possam ser os dois mais o Pedro emprestados a equipas da primeira liga onde sejam expostos a um maior nível de exigência e sejam obrigados a sair da zona de conforto que é o Seixal para eles.

Quanto a esses copiadores que não reconhecem os créditos, é o prato forte da internet. No entanto, não te deixes desanimar, pois a malta gosta do teu trabalho continuará a vir cá e a divulgar o teu trabalho.

Forte abraço

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Sobre nós

Do futebol ao hóquei, do basquetebol ao voleibol, uma visão livre, imparcial e plural do Sport Lisboa e Benfica.



Contacte-nos por e-mail


Licença Creative Commons


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D