Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Análise ao Astana vs Benfica

por P1nheir8, em 26.11.15

 

 

Depois da eliminação da Taça de Portugal, o Benfica defrontou o Astana na 5ª jornada do Grupo C da Liga dos Campeões. Rui Vitória fez algumas alterações em relação à equipa que tinha defrontado o Sporting no último sábado. Lisandro substituiu o lesionado Luisão no centro da defesa, Renato Sanches foi pela primeira vez titular no lugar de Talisca e Jonas e Raúl formaram a dupla de avançados. Júlio César, Sílvio, Lisandro, Jardel, Eliseu, Samaris, Renato Sanches, Pizzi, Gonçalo Guedes, Jonas e Raúl. Foi a equipa titular para este jogo.

 

Os primeiros 15 minutos foram bastante divididos, apesar de existir alguma superioridade do Benfica na posse de bola. Chegámos algumas vezes perto da baliza contrária, tivemos alguns cantos, mas não foi criado perigo. O Astana também não conseguiu incomodar Júlio César, estando a procurar mais as saídas rápidas para o ataque.

 

Perto dos 18 minutos, a equipa da casa cria um lance de perigo. Um minuto depois, adiantam-se no marcador, num lance de contra-ataque. A equipa sentiu o golo e nos minutos seguintes já se notava bastante nervosismo. Raramente conseguimos chegar à área adversária e perdíamos muitas bolas.

 

Aos 31 minutos e depois de um livre lateral, o Astana faz o 2-0 no jogo num lance em que existe fora de jogo. Pouco depois, Pizzi tem um bom remate de fora da área, mas o guarda-redes adversário defende bem. A equipa do Benfica reagiu melhor a este golo que ao primeiro que sofreu e esteve nos minutos seguintes por cima do jogo, com o Astana a baixar as linhas.

 

O Benfica faz o 2-1 aos 40 minutos, por intermédio de Raúl. Sílvio marca rápido o lançamento, Jonas cruza e o avançado mexicano marca com uma bela cabeçada. Tirando o lance ridículo de Lisandro que lhe valeu o amarelo e um remate de longe do Astana que levou algum perigo, pouco mais aconteceu até ao fim dos primeiros 45 minutos. O Astana foi para o intervalo a vencer por 2-1.

 

 

Esta foi uma primeira parte com um futebol fraco por parte do Benfica. A defesa esteve pior, sentindo a falta de Luisão. Dificuldades na linha defensiva, no controlo da profundidade e de ocupação dos espaços - jogaram também muito baixos no terreno. Continuamos com dificuldades em criar algo quando temos a bola no ataque, onde raramente se consegue um desequilíbrio e abusamos nos cruzamentos de longe. As saídas a jogar continuam sofríveis. Basta um pequeno aperto adversário - ou às vezes nem isso - e lá vai um charuto para a frente.

 

Os laterais tiveram pouco em jogo, perdendo muitas bolas. Eliseu abusou no pontapé para a frente nas saídas a jogar e Sílvio ainda não percebeu que todas as bolas que recebe não têm de ser cruzadas para a área. Jardel também teve algumas dificuldades no posicionamento e com as movimentações dos avançados. Lisandro, é uma velha luta minha. Foi mais do mesmo. Os erros que comete em campo, são os mesmos que cometia no inicio de época quando toda a gente o elogiava - coisa que nunca cheguei a perceber. É um central péssimo no posicionamento, em perceber o que é o jogo, na tomada de decisão e com um grau de inteligência em campo que roça o ridículo. É bom no desarme e é o que lhe vale muitas vezes para compensar.

 

Samaris foi o que tem sido habitual. Muita luta e disponibilidade, mas continua a correr muito para onde não precisa. Tem definitivamente de perceber que espaços ocupar e quando é que deve ir e não ir à bola. No passe continua sofrível. Renato esteve algo nervoso e as coisas a não saírem tão bem como desejaria e como ele sabe. No entanto, é logo outra loiça com ele em campo. 

 

Pizzi fez uma primeira parte interessante, com muitos movimentos bons para ter bola. Guedes esteve mal na primeira parte, com algumas más decisões. Jonas procurou os espaços entre linhas mas já se sabe como é quando joga Raúl. Por vezes andam os dois no mesmo espaço na procura da bola. Raúl marcou um belo golo de cabeça, num dos seus melhores atributos. Sentem muito a falta de ter bola com qualidade na frente.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Bem jogado na saída para o ataque mas depois o passe de Pizzi sai mal.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Muito forte Renato a recuperar a bola e a progredir em velocidade com ela controlada. Depois o passe acaba por sair mal.

 

 

O primeiro golo do Benfica. Sílvio marca rápido o lançamento e Jonas cruza para Raúl que tem apenas um defesa junto a ele. Numa grande cabeçada, o avançado mexicano marca um belo golo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 Faltam-me as palavras.

 

 

 

 

 

 

Para a 2ª parte, nenhuma substituição na equipa. Aos 47 minutos de jogo, fantástica arrancada de Renato Sanches com bola, colocando depois em Gonçalo Guedes que permite a defesa ao guarda-redes adversário.

 

Se a primeira parte já foi bastante mal jogada, estes primeiros 15 minutos da segunda ainda foram piores. Péssimo futebol em campo e a existirem ainda menos - ou nenhumas - jogadas com pés e cabeça. Aos 60 minutos Jonas remata de primeira ao lado, levando algum perigo à baliza adversária. Um minuto depois, é Júlio César que evita o 3-1, com uma bela defesa.

 

Aos 64 minutos duas substituições na equipa do Benfica. Sai o lesionado Sílvio e entra André Almeida. Talisca também entra em jogo, saindo Samaris. O médio brasileiro foi colocar-se no meio-campo, junto a Renato Sanches. Júlio César volta a negar o 3-1 ao Astana, depois de mais um contra-ataque da equipa da casa, precedido de mais uma perda de bola do Benfica. A equipa ia perdendo muitas bolas e continuava sem conseguir chegar à baliza adversária com perigo.

 

Quando pouco ou nada o fazia prever, o Benfica empata o jogo aos 72 minutos, depois de uma bela jogada de ataque finalizada por Raúl com o pé direito. A equipa do Astana já estava sem forças, não conseguindo sair para o contra-ataque. O Benfica baixou ainda mais o ritmo de jogo, abdicando quase de atacar, apenas trocando a bola entre os seus médios e defesas. A terceira substituição acontece aos 80 minutos, com a saída de Jonas e a entrada de Cristante.

 

Com a entrada do médio italiano, Renato voltou a subir no terreno, sendo o 8 da equipa. Talisca foi colocar-se no apoio a Raúl, na frente de ataque. Talisca remata de longe aos 85 minutos, mas o guarda-redes do Astana defende com facilidade.

 

O jogo foi-se arrastando para o final, sem nada de interessante acontecer. Astana já sem forças para atacar e a equipa do Benfica a preferir guardar a bola e a não atacar. Pouco depois, o apito final, com 2-2 no marcador.

 

 

A 2ª parte não foi muito diferente da primeira. Tudo bastante lento, com más decisões e demasiado pontapé para a frente. E até havia espaço para muito mais e melhor, que o Astana é bem fraco - sim, sei que não perdeu em casa - e cedeu fisicamente. Salvou-se a muito boa jogada do golo, a arrancada de Renato Sanches e pouco mais.

 

A defesa continuou com falhas, mas nesta 2ª parte o Astana já não criou tanto perigo. Samaris saiu cedo na 2ª parte, nota-se muito desgaste nele e estava também a falhar muitos passes. Renato desceu de produção quando passou a ser o 6 da equipa, deixando de ser o motor que a equipa precisa. 

 

Gonçalo Guedes continuou a não fazer um grande jogo, estando bem abaixo das suas capacidades. Pizzi fez um dos melhores jogos de águia ao peito, sendo um dos melhores jogadores da equipa. Jonas demonstrou o que é no lance do 2-2, conseguindo pensar toda aquela jogada. É um jogador fantástico. Raúl marcou mais um golo nesta 2ª parte, aparecendo bem a finalizar, mas continua com a dificuldade de saber onde deve e não deve estar.

 

Talisca entrou pessimamente no jogo. André Almeida não comprometeu e fez mesmo a assistência para o segundo golo. Cristante deu segurança no passe nos 10 minutos que jogou.

 

 

 

 

Há quanto tempo não se via uma arrancada destas num jogo do Benfica?

 

 

 

 

Samaris esteve muito mal no passe.

 

 

Muito forte Renato a recuperar defensivamente e a roubar a bola, mas depois precipita-se no passe. Que diferença enorme na velocidade a que recupera entre ele e os outros todos.

 

 

 

 

Foi assim que Talisca entrou em campo.

 

 

Boa saída para o contra-ataque, mas Gonçalo Guedes adianta a bola em demasia.

 

 

O golo do empate. Brilhante jogada em que Jonas dá um recital. Incrível como ele se vai movimentando e pensando toda a jogada. Bom cruzamento atrasado de André Almeida e Raúl finaliza para o fundo das redes.

 

 

 

 

 

 

Em primeiro lugar, dar os parabéns a Rui Vitória por esta classificação. Foi uma boa primeira fase que o Benfica fez e que espero que seja culminada com o primeiro lugar do grupo. Sou da opinião que é na Liga dos Campeões que o Benfica tem de se mostrar sempre. Na Europa dos grandes, onde teve ao longo da sua história inúmeros momentos de glória. 

 

Quanto a este jogo, foi mais do mesmo. Um futebol fraco e com os problemas de sempre que se têm falado por aqui. Tirando o lance do segundo golo, não conseguimos criar grande perigo em ataque continuado. Sei que o terreno não facilitava e que os jogadores não estão habituados, mas mesmo assim exige-se mais futebol. Continuamos a abusar dos cruzamentos para a área. Sim, marcámos dois golos através de cruzamentos, mas um nasce de um lançamento rápido e outro de uma bela jogada onde depois aparece o lateral a cruzar bem. O que normalmente acontece é que a bola entra no lateral no meio do meio-campo adversário e procuramos logo o cruzamento. São lances com uma % de sucesso muito baixa. Não percebo.

 

A equipa precisa de melhorar defensivamente e nas transições, mas isso não é de agora. Em praticamente todos os contra-ataques o Astana conseguia criar perigo.Não percebi a entrada de Talisca para 8 e o recuo de Renato para 6, já que não é aí que ele mais rende. Gostei de ver Cristante a ter minutos, vamos ver se é para continuar. Já Talisca, não entendo. Também não gostei de ver a equipa durante os 15 minutos finais a trocar apenas a bola e sem ter qualquer preocupação em atacar a baliza contrária.

 

Como esperado, a entrada de Renato trouxe muita coisa que falta à equipa. Intensidade nas transições, progressão com bola, capacidade de pressão, procura de outros espaços para receber a bola. Ainda falhou muitos passes e tem de melhorar essa vertente, mas a qualidade é imensa. Caso tudo corra como normal, não sai mais da equipa. É o melhor 8 do plantel, e não é de hoje.

 

Vem aí um jogo bem difícil em Braga e onde somos obrigados a vencer. Não há outro caminho.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:06


38 comentários

De Cosimo Damiano a 27.11.2015 às 11:38

Mais um excelente trabalho de enorme utilidade pública benfiquista.

Quando vi o Luisão a segurar o braço em Alvalade gelei. Vinha aí o Lisandro outra vez... e voltou igualzinho em tudo. Arrasa qualquer linha defensiva, aniquila qualquer saída para o ataque, consegue posicionar-se sempre mal e decidir pior... Um fartote.

Valeu por ver o Renato no 11 inicial. Só tenho pena que tanto talento (e há mais de onde veio o Renato) seja enquadrado num modelo tão medíocre.

Esperemos que melhores dias cheguem.

Viva o Benfica!

De P1nheir8 a 27.11.2015 às 13:50

Obrigado Cosimo,

Pois, eu pensei o mesmo, infelizmente. O Luisão ainda é muito importante para a equipa. Ainda para mais quando o substituto é o Lisandro.

Sim, existe muita mais qualidade de onde o Renato veio. Até mais que em vários jogadores da equipa principal, mas o modelo de jogo da equipa doo Benfica tem sido mesmo muito mau.

Abraço.

De jorgen80 a 27.11.2015 às 16:11

Agradeço a análise, apesar de discordar das muitas interpretações que fazes. Não me parecem corretas.
Por exemplo, criticar a entrada de Talisca, mas não compreender que foi a partir daí que o Benfica começou a ter uma construção de jogo mais assertiva desde trás- Samaris não é jogador para o Benfica. Isto é, enquanto, inicialmente, Samaris descia para procurar profundidade nos flancos, o Benfica passou a ter saída de jogo, ora por Talisca, ora por Renato no centro, como nas laterais. Para mim, foi a jogada tática do jogo, esta substituição. Por vezes, mais que individualmente, deve-se observar o que esse jogador permitiu coletivamente. É importante a análise dupla.

Depois, antes mesmo do mau posicionamento do Eliseu, é preciso perceber o que aconteceu para ele naquele momento ter sido apanhado desprevenido- não é isento de culpas, obviamente. Bastaria teres puxado uns segundos antes a jogada e vês a desconcentração de jogador medíocre protagonizada pelo Jimenez. Uma perda de bola naquela zona de terreno, nas condições em que aconteceram, no mínimo deveria valer substituição de dois minutos.

Outro ponto que não me revejo são as criticas infundadas ao Lisandro Lopez. Leu muito mal no lance que recebeu amarelo, mas de resto INDIVIDUALMENTE esteve fantástico. Tanto ele como o Jardel- Não sou fã. Aconteceram, sim, momentos, em que a defesa não soube acompanhar o meio-campo, para fechar as entre-linhas de jogo, mas isso, são erros coletivos, muito deles por passes mal medidos, ora do Samaris- Tanto longo, como curto, não deve passar dos 50 por cento de passes corretos num jogo- ora do grande miúdo Renato. Aqui, mais uma vez, é uma questão coletiva, e não tanto individual.


Por último, e como avaliaste bem, Pizzi esteve muito bem em campo. A médio interior-direito, seria um médio tão mais melhor do que na super exigente posição de 8/10 no atual modelo de jogo do Benfica. Tecnicamente, na variante do passe, é dos melhores que temos.

Haveria outros pontos para abordar, mas penso que estes são aqueles que não poderia deixar passar em claro.

Cumprimentos

De jorgen80 a 27.11.2015 às 16:14

Há aqui outro gift-ou lá como se chama- em que se vê Samaris, estupidamente, a pedir ao Lisandro para vir ao centro, quando tinha que ser, ele, o médio móvel, a dar a linha de passe mais central. Não sei se o teu intuito com o Gift é culpabilizar o Lisandro, mas se há alguém que esteve muito mal no respetivo lance, foi o Samaris.

Cumprimentos

De P1nheir8 a 30.11.2015 às 15:25

Boas,

Respeito a sua visão, mas discordo de tudo o que disse, como disse na análise que fiz.

Pegando apenas neste caso, do Samaris pedir "estupidamente" ao Lisandro para vir ao centro, se calhar é melhor tentar perceber-se que a saída a jogar que o Benfica faz mais vezes é com o médio na ala, fazendo o terceiro homem e com o lateral subido. Não tem nada a ver com estar mais perto ou não, é algo que é treinado, menos pelo Lisandro, parece-me. Exemplos desta saída há aos montes durante os jogos, por isso deve ser tudo menos um pedido estúpido.

Cumprimentos

De jorgen80 a 30.11.2015 às 20:11

Mas o Benfica, naquele preciso momento, estava numa saída de bola pausada, de frente, tranquila, ou sob pressão e precisava de plano B? Um grande jogador, ou uma grande equipa sabem o que a mesma necessita dependendo do momento de jogo. Samaris ali, só tem que encurtar espaço e ficar-se pela zona central. NUNCA, mas mesmo NUNCA, quando Jardel está a ser pressionado daquela forma, vai percorrer uma linha a outra, apenas para ser fiel à estratégia de jogo. Isso só acontece se for no FM. Isto é vida real, amigo.

Depois dizer que este esquema do Benfica já é utilizado em várias equipas na Europa, sendo o PSG com o Thiago Motta o expoente máximo. Este sim, médio com capacidade para ser libero e médio construtor recuado, no mesmo jogo.

Abraço e força Benfica. Cá estarei, caso faça mais uma análise interessante e aberta a interpretações como esta

De jorgen80 a 27.11.2015 às 16:18

Para acabar, o facto de Samaris ter estado o jogo todo a perder bolas atrás de bola, e o Talisca tendo estado mal num ou outro lance inicial- Normal. Entrou a meio de jogo; De Champions; De intensidade alta; De muito frio; Com campo sintético.- ser criticado da forma como é, demonstra as expetativas das pessoas.
Já disse no Geração Benfica, para os Benfiquistas, mais vale um esforçado sem pés que um forçado com potencial e qualidade.
É um problema para mim. E devia de ser para quem quer ver bom futebol em Portugal.

De António Sousa a 27.11.2015 às 17:38

Gostei muito da analise e a complementação por legendas.na primeira meia hora o Benfica batia" ás portas do inferno" causou alguma estranheza em função da qualidade das duas equipas; porém a dificuldade que os outros tiveram fazia adivinhar que não seria diferente com o Benfica, sobretudo na primeira parte. Depois viu-se um equilíbrio das duas equipas e acaba por se aceitar o resultado e o Benfica com este ponto garantiu o acesso aos oitavos de final e nas cinco participações de JJ só se tinha apurado uma vez e o Benfica rompe com esse fatalismo; por isso eu não quero já sacrificar este treinador porque apesar de estarmos com algumas dificuldades o saldo é francamente positivo; vejamos o dinheiro encaixado e os três jovens da formação (esta aposta está a dar resultado). agora do que o Benfica precisa é ultrapassar se possível, com uma vitória com o Atlético para ficar em primeiro do grupo, com isso evita os tubarões e poderá dar mais um saltinho?

De P1nheir8 a 30.11.2015 às 15:31

Boas António,

Não me acredito que é com a passagem em primeiro que se pode dar um saltinho. São muitos meses já, e não se vê nada de melhorado, infelizmente.

Vamos ver, contra o Atlético vai ser um jogo difícil, mas provavelmente daremos a iniciativa ao adversário e aí o Benfica estará mais confortável em campo.

O saldo positivo é na Champions, porque no resto é muito negativo. E a campanha europeia não pode apagar tudo o que tem sido o restante. Os jovens têm valor, e não é de agora. A aposta já devia ter sido feita. Não se podem esconder fracassos na aposta dos jovens.

Abraço.

De António Sousa a 30.11.2015 às 17:50

Sim...,estou de acordo ; quanto ao "saltinho", referia-me ao plano externo e, quanto ao treinador, tinha escolhido outro, havia dois da concorrência e qualquer um era a escolha mais certa. Agora temos que ter esperança, O Benfica começou mal, a pré-época foi um erro ,mas estamos em construção! Não esquecer que o JJ recebeu ,quando chegou ao Sporting, jogadores da formação, que lhe dão agora um jeitão.


Abraço

De aquaporina a 27.11.2015 às 20:05

Boas, descobri hoje o blog e estive a dar uma vista de olhos a posts mais antigos, em especial à análise aos jogos. Não posso dizer que esteja surpreendido com o diagnóstico à equipa, mas visto em gifs é ainda mais ridículo.

Houve alguns lances da defesa aos lançamentos, em especial no jogo tondela-benfica, que fiquei com algumas dúvidas. (http://i.imgur.com/T1fM6c1.gif).

Por exemplo, neste caso a mim parece-me que o luisão está bem posicionado, e por conseguinte o sílvio. o que está mal é o jardel ir marcar o avançado à lateral. penso é que o espaço onde não está ninguém teria de ser ocupado pelo médio defensivo.

Desde já deixo aqui os parabéns por este excelente projecto que além da qualidade do conteúdo tem o grande mérito de fazer a análise aos jogos do glorioso :)

De P1nheir8 a 30.11.2015 às 15:37

Boas aquaporina,

Obrigado. Sim, nesse jogo existiram muitas referências individuais. Ainda mais que o que passou a ser a nossa defesa.É um lance que podiam fazer de duas maneiras. O Luisão mesmo assim penso que devia ter chegado mais para cá. Uma solução é a que dizes. A outra é o Jardel ficar no espaço, o Sílvio na linha e depois os médios a fecharem um pouco mais. Umas vezes fazemos de uma maneira, outras vezes de outra. Ainda não percebi qual é que é a definida.

Obrigado e continua a passar por cá. :)

De bcool973 a 28.11.2015 às 00:13

Boas Pinheiro,

Mais uma vez a generalidade das pessoas confunde resultados com futebol. É certo que os resultados são importantes, mas eles normalmente são a consequência de algo: competência própria e alheia, sorte, erros arbitrais, talento individual, enfim... O que se deve pedir ao treinador é que ele crie um modelo de jogo que potencialize os pontos fortes dos jogadores e esconda os pontos fracos, ao mesmo tempo que permita que a equipa crie jogadas em que quem conclua, sejam ou não avançados, tenha grande probabilidade de marcar golo, nomeadamente esteja em vantagem na área com condições para rematar (ou cabecear) com êxito.
É isto que se pede, ou se devia pedir a um treinador, pois isto é o produto do seu trabalho.

O que tu mostras é exactamente o contrário. A cada jogo, a equipa mostra condições para a falta de sucesso e mesmo ganhando, ou neste caso empatando e qualificando-se para os oitavos, a equipa mostra que colectivamente é de uma pobreza confrangedora. Espaço entre os sectores, jogadores afastados, marcações individuais até às linhas, más opções, linha inexistente.

Vou ser sincero, o meu receio é perder com o Atlético de Madrid e nos oitavos apanhar um Barcelona ou um Bayern. Qualquer destas equipas tem futebol para humilhar o Benfica e se o Barcelona mostrou há uns anos alguma condescendência, os bávaros são tudo menos condescendentes. O nosso grupo é fraco e mesmo o Atlético, colectivamente não é grande coisa, mostrou contra os turcos uma boa saída e circulação de bola, mas ofensivamente opta por soluções arcaicas muito nosso conhecidas. Oliver é suplente :o

Quanto à primeira parte do jogo contra uma das piores equipas que já vi na Liga dos Campeões:

1-Lisandro, enfim, como jogador, medíocre é um elogio, mas a opção que toma, parece-me mais algo de treinado, do que opção do jogador. É certo que pouca capacidade tem para ler o jogo, seja a defender, seja a atacar, mas parece-me haver uma sistematização de jogo em que os laterais têm que esticar o jogo na frente, portanto não duvido que os centrais tenham que fazer o mesmo.

3- Pizzi devia ter progredido para fixar o defesa, ou caso este não reagisse, entrar na área e rematar. Sem fixar os defesas, qualquer passe apenas favorecerá quem defende.

4- A saída resultou, mas os jogadores estavam muito afastados. Valeu a não pressão do Astana.

5- Sílvio e RV vintage

6- Péssima decisão do Guedes. Espero que estas opções "individuais" não sejam consequência do treino, mas apenas da falta de critério do atleta, pois isto pode ser-lhe mostrado para corrigir nos próximos jogos. Porém, tenho visto muitas bolas colocadas na velocidade do Guedes para ele decidir no 1x1. Espero que os hábitos da formação sejam rapidamente corrigidos.

7- Jonas vintage

8- Nem sei o que dizer... Tão mau, Lisandro baixa por saber ser menos rápido e nem contenção faz, Jardel não segue a linha de Lisandro e tem os apoios mal direccionados tendo em conta que o portador da bola não tem pressão, Eliseu é um pé de chumbo, o Renato não deve achar que deve correr para trás nestes casos. Este golo é um compêndio de erros e de como não defender. A falta que o Jorge faz.

9- Muito bem o Guedes, bem o Eliseu numa primeira fase e menos bem a passar, mal o Jonas na recepção.

10- Bem o Sílvio e o Pizzi a darem opções, péssima decisão e execução do Samaris. Péssimo posicionamento colectivo de resto.

11- Tudo mau... Centrais, falta idiota do Sílvio, Júlio César a meio, auxiliar distraído...

12- Principal problema do Renato, leitura... Tem um potencial físico e técnico inacreditáveis, mas muitas más decisões nos passes, não é a execução, é mesmo a má decisão que é crítico.

13- Boa movimentação dos jogadores (Raúl e Guedes) e o MVP a decidir, Jonas.

14- Samaris, Jonas, Pizzi, Jonas, Samaris e bola chega a Renato deixando 3 jogadores para trás.

15- Sílvio vintage

16- Contra equipas melhores é meio caminho para sofrermos golo. Péssimo posicionamento colectivo e individual de Lisandro e Sílvio.

17- Inenarrável

18- Os hábitos de colocar o Pizzi a jogar ao meio, trazem agora os seus resultados. Jonas com dificuldades a dominar um mau passe do Pizzi. O piso dificultou muito a vida dos jogadores com mais técnica.

19- Mais que Eliseu, que já o vi a fazer outras coisas, isto é RV vintage.

De bcool973 a 28.11.2015 às 00:30

2.ª Parte

1- Lisandro... Enfim, faltam-me as palavras para algo tão mau.

2- Grande jogada do Renato, pobre finalização do Guedes, embora o gr tenha saído bem e encurtado o ângulo.

3- Descoordenação, mais do que outra coisa. Guedes a ler bem as dificuldades do Jardel.

4- Samaris mal (equipa em inferioridade na zona da bola 3x4), Renato com dificuldades em correr para trás.

5- Boa acção defensiva do Renato, mas depois o problema do critério no passe. Algo que lhe notava na equipa B era que com o decorrer do tempo, normalmente a percentagem de passe do Renato vai caindo.

6- Mal o Samaris, o Pizzi vem na perseguição.

7- Pior que o mau passe do Talisca é a incapacidade de perceber para onde tem que se movimentar, decide perseguir o jogador com bola, em vez de se posicionar no espaço central aberto, pela compensação do Jardel ao Eliseu (estava projectado e nunca poderia estar lá), deixando que o médio que ataca o espaço clareado pelo jogador com bola ficasse com boa posição caso a bola voltasse ao meio.

8- Excelente Pizzi, mau controlo de bola do Guedes, talvez devido ao relvado.

9- Jonas, o MVP

10- Indescritível. O que faria Jardel por ali? Os médios não atacavam e foi o central à frente??? O Lance é concluído com cruzamento, what else is new?

11- Volto a dizer que já vi Eliseu a fazer coisas diferentes, nomeadamente progredindo com bola. Sinceramente, suspeito que isto seja produto do treino.

Pobre, muito pobre. Enfim... A qualificação é boa financeira e desportivamente, mas ilude muitas pessoas sobre o real valor do treinador.

De P1nheir8 a 30.11.2015 às 15:51

Boas bcool,

Concordo com o que foste dizendo dos gifs. ;)

Em relação ao Renato, também sou dessa opinião. A tomada de decisão dele é fraca, e disse-o no artigo que escrevi dele. Ainda é novo, precisa de melhorar muito isso, porque o resto está lá. Espero que hoje jogue a titular.

Também é o meu receio passar em segundo, mas até acredito que somos capazes de um empate contra o Atlético. Jogar fechadinhos, sem dar espaços e em contra-ataque. Vamos ver.


A equipa continua igual, e isso é consequência do fraco treino. Só pode. Não sei o que fazem por lá, mas bom não deve ser.

Desculpa não conseguir responder a tudo, mas o tempo não é muito. Vamos ver o que sai hoje de Braga.

Grande abraço.

De Bruno a 30.11.2015 às 12:32

Parabéns pela análise.

Está realmente muito boa e concordo com o que dizes.

Abraço e continuacao de bom trabalho

De P1nheir8 a 30.11.2015 às 15:52

Muito obrigado, Bruno.

Abraço.

Comentar post


Pág. 2/2



Sobre nós

Do futebol ao hóquei, do basquetebol ao voleibol, uma visão livre, imparcial e plural do Sport Lisboa e Benfica.



Contacte-nos por e-mail


Licença Creative Commons


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D