Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Análise a Ivan Šaponjić

por R_9, em 16.01.16

 

No verão passado, assisti ao Mundial Sub20 que se realizou na Nova Zelândia. Uma das selecções que mais acompanhei, foi aquela que se viria a sagrar campeã mundial, a Sérvia. Era uma equipa recheada de talentos. Tínhamos na baliza Predrag Rajković - melhor guarda-redes presente na prova - e defesas como Nemanja Antonov, Srđan Babić, Miloš Veljković, Vukašin Jovanović ou Milan Gajić. No meio-campo, um Marko Grujić a quem já se lhe reconhecia talento, apesar de pouco ter mostrado na prova e Nemanja Maksimović, jogador que até já defrontou o Benfica este ano pelo Astana. Mais para a frente de ataque, destacavam-se o diabólico Andrija Živković e Sergej Milinković-Savić. Sempre achei que a grande falha nesta equipa, era a falta de uma boa referência no ataque, já que qualquer um dos avançados que ia rodando, mostrava muito pouco. Um deles, era Ivan Šaponjić, que foi alternando a titularidade com Staniša Mandić. Marcou dois golos na competição, ambos de cabeça e depois de sair do banco de suplentes. Golos bastante importantes, que permitiram a continuidade da equipa na prova.

 

Ivan Šaponjić chega do FK Partizan, tendo passado antes pelo Zlatar Nova Varoš e Sloboda Užice. Fez a sua estreia na equipa principal a 30 de Novembro de 2013, quando tinha apenas 16 anos. Depois desse jogo, não voltou a jogar mais na equipa A durante a época. Começou a ser regularmente utilizado no plantel sénior a partir de Fevereiro de 2015. Foi somando minutos, mas sem nunca ser um titular indiscutível. Em 42 jogos pelo FK Partizan, soma 11 golos, dos quais 7 são na Liga. Sempre foi presença assídua nas selecções mais jovens e se destacou pelos golos marcados. Fez, em vários escalões, dupla com Luka Jović - jogador apontado ao Benfica -, como por exemplo na fase de qualificação para o Europeu Sub17 em 2014, onde marcou 5 golos. Também esteve bem na qualificação para o Europeu Sub19 de 2015, onde marcou 3 golos. Já é internacional Sub21, depois de ter jogado dois jogos em Novembro do ano passado.

 

O jovem avançado sérvio é um jogador já bastante desenvolvido fisicamente. Com o seu 1,89 m e os seus 82 kg, tenta usar muito isso em seu proveito durante o jogo, quer seja a ganhar os duelos físicos ou a guardar a bola dos seus adversários. Também tem uma boa impulsão, que alimenta o seu forte jogo de cabeça. É um daqueles daqueles típicos números 9, em que o seu jogo é baseado no que consegue fazer dentro da área e que de resto pouco dá ao futebol da equipa, tendo dificuldades nas restantes vertentes e isto faz com que esteja muito tempo alheado do jogo. Dentro da área, movimenta-se e finaliza bastante bem. Tanto com pé direito - o mais forte - ou pé esquerdo, procura sempre a finalização. Gosta muito de fazer o movimento de pivot, pedindo a bola para a segurar e esperar pelos apoios, mas precisa de não perder tantas vezes a frente, pois mesmo com o seu porte físico, deixa-se antecipar muitas vezes.

 

Não é dotado de grande técnica, mas também não é tosco. Joga bem em toques curtos, movimentando-se depois para a baliza. Tem muitas dificuldades com a linha de fora de jogo, pois são inúmeras as vezes que é apanhado em posição irregular, precisando de melhorar essa vertente. Também as recepções de bolas não são muitas vezes as melhores, fazendo com que depois o segundo toque já seja feito com mais dificuldade. Sendo a referência ofensiva, não pode perder tantas vezes a bola depois de ser servido pelos colegas, já que isso irá trazer enormes dificuldades para a sua equipa.

 

 

O movimento de receber e guardar, mas depois perde várias vezes a frente ou deixa-se antecipar.

 

 

Muito espaço para receber e fazer jogar, mas dá de primeira. Quando depois volta a receber, faz um mau passe.

 

 

O bom jogo de cabeça que tem, marcando aqui um golo.

 

 

Não deixar o defesa ganhar-lhe a frente, dar logo de cabeça para o médio e seguir para a área.

 

 

Recuperar a bola com o seu porte físico, depois guardar e entregar ao colega de equipa.

 

 

Dar em esforço para o médio e depois muito bem a fazer o movimento nas costas do defesa.

 

 

Duas vezes que recebe o passe longo e faz jogar.

 

 

Vir dar o apoio frontal, entregando logo o passe curto.

 

 

Receber, rodar e progredir com a bola no pé.

 

 

Bom movimento, tentando finalizar com o pé esquerdo. Depois volta a recuperar e com uma bela jogada passa pelos defesas e remata à baliza.

 

 

Diagonal e tentativa de finalização.

 

Ivan Šaponjić é um bom finalizador, mas precisa de evoluir muito o resto do seu jogo, deixando de ser tão rudimentar como ainda é. O seu porte físico fará a diferença sempre que jogar com alguém da sua idade, mas subindo um pouco a dificuldade, ele baixará muito de rendimento. Claro que já está a um bom nível mediante a sua idade, pois foi presença assídua na equipa principal do seu clube. Não lhe vejo assim um potencial e talento tão grande como outros jogadores sérvios que chegaram ao Benfica ou que estejam a ser falados como possíveis reforços, mas caso evolua nas muitas coisas que lhe faltam, pode vir a ser uma agradável surpresa.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:22


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Sobre nós

Do futebol ao hóquei, do basquetebol ao voleibol, uma visão livre, imparcial e plural do Sport Lisboa e Benfica.



Contacte-nos por e-mail


Licença Creative Commons


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D