Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Semana das Modalidades

por Miguel Martins, em 23.10.15

 

No fim-de-semana passado, tivemos nova jornada dupla da nossa equipa de Basquetebol. Que mais uma vez, não desiludiu.


No sábado recebemos o FC Porto e vencemos por 72-61. Não se pense que foi fácil. Frente a uma equipa aguerrida e que fez do tiro exterior a sua melhor arma, o Benfica teve muitas dificuldades, principalmente no 2º período, onde esteve manifestamente mal. E foi sem surpresa para quem estava a assistir ao jogo que fomos para a intervalo a perder por 31-43, estando no último minuto da 1ª parte a perder por 16 pontos. O intervalo fez bem à equipa, que regressou transfigurada para melhor. Mudou a defesa para zona e nunca mais o Porto se encontrou no jogo. Com um Cook mais inspirado, com um Nuno Oliveira e um Tomás Barroso a defenderem de forma fabulosa e um Wilson a dominar por completo o jogo interior, o Benfica chegou ao final do 3º período empatado. A reviravolta foi consumada no 4º período, conquistando assim uma vitória clara por 72-61. Poderia destacar Cook, Wilson, Nuno Oliveira, Tomás, Cláudio, Carlos Andrade, mas o destaque neste jogo vai para o nosso treinador, Carlos Lisboa. Venceu o jogo com a mudança do sistema defensivo.

 

No domingo, a equipa deslocou-se a Barcelos. Num jogo desde cedo controlado pelo Benfica, conquistámos uma vitória clara e inequívoca por 61-82. Ao intervalo já íamos vencendo por 32-39.


Destaque para a excelente exibição de Wilson, com 16 pontos e 12 ressaltos, é para mim, o melhor jogador da Liga. Tem uma qualidade fantástica em todos os momentos do jogo.

 

Sábado, recebemos a Oliveirense, às 15h30.


 

Em Futsal tivemos derby. E que derby. Um Benfica sem Henmi (castigado), sem Chaguinha e Jefferson (lesionados) e ainda com Fernando claramente condicionado, recebeu e bateu um Sporting praticamente na sua máxima força.

 

Numa 1ª parte muito equilibrada e disputada, mas não muito bem jogada, o Sporting  foi tendo mais bola e dispôs de ocasiões de golos, contando sempre com a oposição de um Juanjo inspiradíssimo. A cerca de 20 segundos do intervalo, o Benfica conquistou um canto e Joel Rocha pediu desconto de tempo para trabalhar a bola parada. No reatar do jogo, após um brilhante trabalho individual de Alan Brandi, Fábio Cecílio apareceu completamente isolado no centro área e bateu Marcão com uma belíssima execução individual, fazendo o 1-0 - resultado que se verificava ao intervalo. Sem ser um resultado inteiramente justo, era um aceitável, pois se o Sporting teve oportunidades de golo o Benfica também as teve e mais flagrantes.

 

Na 2ª parte, o Sporting foi em busca do empate e acabou por conseguir num lance em que Miguel Ângelo “enganou” de forma involuntária Juanjo. Queria cruzar mas a bola acabou por ir para a baliza. A 9 minutos do fim do jogo Patias foi expulso por acumulação de amarelos e o Sporting durante 2 minutos ficou a jogar com mais um jogador. Quando tudo apontava para que o Sporting fosse capaz de tirar partido desta situação, o Benfica defendeu de forma brilhante e aguentou o empate, sendo para isso decisivo Juanjo. Quando ficámos completos, Ré recuperou a bola, galgou todo o campo com ela para tocar para Gonçalo Alves que bateu um desamparado Marcão, fazendo o 2-1.


Com um pavilhão completamente cheio e ao rubro, os jogadores do Benfica aguentaram este resultado até ao fim do jogo. O Sporting ainda jogou em 5x4 e teve ainda um livre direto a seu favor, mas tudo isto era insuficiente, quando do outro lado esteve um Juanjo absolutamente épico e que foi unanimemente considerado o homem do jogo. 

 

Vitória da raça, do crer, da modéstia, do respeito pelo adversário. No fundo, a vitória do bem contra o mal.

 

Sábado, às 15h, defrontamos a Quinta dos Lobos em Carcavelos.


  

Em Voleibol tivemos nova jornada dupla, com mais um pleno de vitórias - algo que esta secção já nos habituou com o tempo. No sábado em Espinho, começámos muito mal e cedemos o 1º set por 25-18. Neste 1º parcial, o Benfica nunca se encontrou, o serviço não foi eficaz e no voleibol o serviço é muito importante.


No 2º set voltámos diferentes, mais agressivos, com um serviço eficaz e com um bloco assertivo, virando por completo a tendência do jogo. Acabamos a vencer por 21-25, resultado que se repetiu no 3º set. No 4º set, fechámos o encontro com uns esclarecedores 18-25.

 

Destaque para a boa exibição do Mart.

 

 

No domingo, recebemos e vencemos o Castêlo da Maia, num jogo sem grande história. Domínio completo e absoluto de um Benfica muito moralizado e personalizado. Vitória por 3-0, com parciais de 25-20, 25-18 e 25-23.

 

Duff estreou-se com a camisola do Benfica e parece mesmo ser reforço. Muita qualidade, tanto no remate como no bloco. Destaque para o facto de que apesar de ter havido muitas mexidas no grupo de trabalho, já se nota muita coesão no mesmo.
Está de parabéns José Jardim, grande trabalho no Benfica. Mais um.

 

No sábado, temos a difícil deslocação aos Açores, onde vamos defrontar a Fonte Bastardo. Jogo às 17h30 (hora continental).


  

A equipa de Andebol recebeu e venceu no sábado o Madeira SAD por 29-23. Foi um jogo equilibrado durante grande parte do tempo. Ao intervalo íamos vencendo por 14-13, em grande parte devido à exibição de Belone Moreira. Na 2ª parte com um Hugo Figueira inspirado, fomos dilatando a vantagem, com o Madeira SAD a fazer o que podia, liderado por um inspirado Cláudio Pedroso que infelizmente no Benfica pareceu nunca querer ser o jogador que poderia ser. Pode ser que agora acorde ainda a tempo. Para regressar ao Benfica, é que me parece improvável.


Os golos foram apontados por: Borragán (5), Belone Moreira (5), Uelington (5), João Pais (4), Davide Carvalho (3), Hugo Lima (3), Vrgoc (2) e Paulo Moreno (2).

Destaque para excelente exibição de Hugo Figueira.

 

Sábado, defrontamos o Sporting da Horta nos Açores, às 22H00 (hora continental).


 

Na 4ª feira, tivemos mais um derby na Luz. A nossa equipa de Hóquei em Patins não desiludiu, batendo o Sporting por uns claros e expressivos 9-0. Ao intervalo já íamos vencendo por 2-0.


Desde cedo no jogo que o Benfica dominou, mostrando que o que se passou na Supertaça fazia parte do passado. Foi sem surpresa que Nicolia fez o 1-0, numa bela stickada de meia distância. Ainda durante a 1ª parte, a finalizar uma bela jogada entre Torra e João, o jogador espanhol fez o 2-0, estabelecendo assim o resultado que se verificaria ao intervalo. No final da 1ª parte, Tiago Rafael viu o cartão azul, e na cobrança do livre direto Trabal brilhou, impedindo o Sporting de reduzir a desvantagem.

Logo no recomeço da 2ª parte na transformação de uma grande penalidade, Torra bisou e fez o 3-0. Depois Nicolia apareceu e destruiu por completo a equipa do Sporting, com duas brilhantes assistências para Adroher fazer o 4-0 e o 5-0. Com um pavilhão extremamente bem composto e empolgado, o Benfica partiu em busca de mais golos e Adroher na cobrança de um livre direto fez um golo de levantar o pavilhão. Uma execução brilhante, só ao alcance de um prodígio técnico. O 7-0 surgiu por João Rodrigues após mais um brilhante assistência de Nicolia. O 8-0 por Tiago Rafael, com nova assistência de Nicolia. O resultado final foi fixado por João Rodrigues, a finalizar mais uma bela jogada colectiva.


Destaque para a exibição brilhante de Nicolia e também de Trabal, que defendeu 2 livres diretos e ainda uma grande penalidade.

 

Exibição brilhante de uma equipa brilhante. Estão de parabéns.


No sábado, temos um difícil jogo com o Vic, líder da Liga Espanhola. O jogo é em casa às 19h30.


 

E porque o Benfica é mais do que futebol, tudo aos pavilhões!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:40

Fim-de-Semana das Modalidades

por Miguel Martins, em 13.10.15

 

Começou este fim-de-semana a Liga de Basquetebol em Portugal. Logo a marcar esta 1ª jornada, tivemos a greve dos árbitros que impossibilitou a realização do jogo Benfica x Vitória de Guimarães. Desde já, uma nota muito negativa para a Federação. Continua a ser um dos maiores problemas da modalidade em Portugal ao contrário daquilo que deveria ser. Numa liga já de si deficitária em termos financeiros, ainda assistimos a este tipo de situações que acarretam mais custos para os clubes em viagens, estágios e policiamento aos clubes. Uma situação vergonhosa e que carece de uma solução com a máxima urgência.

 

No Domingo, a equipa do Benfica deslocou-se à Maia para defrontar a equipa local. O jogo foi desde cedo controlado pelos comandados de Carlos Lisboa, pese o Maia ter sido um digno adversário, tentando dar a luta possível. Ao intervalo, o Benfica já ia vencendo por 22-30, sendo que o resultado final foi 50-64.


Duas notas adicionais sobre este jogo. Cláudio Fonseca teve uma boa exibição, acabando com 16 pontos, 11 ressaltos e 2 desarmes de lançamento. A outra nota é menos positiva, já que o Benfica marcou poucos pontos para o potencial ofensivo que apresenta.
No próximo sábado, defrontamos o FC Porto em casa, às 18h30. No domingo, a equipa desloca-se a Barcelos para defrontar a equipa local, em horário ainda a definir.


 

A nossa equipa de Futsal teve a sempre complicada deslocação a casa do Boavista nesta última jornada. O jogo bastante equilibrado, onde estivemos por 3 vezes em desvantagem no marcador. Apresentando-se sem Juanjo, Chaguinha e Jefferson, o Benfica teve muitas dificuldades para controlar o jogo, caindo no tipo de jogo que o Boavista queria. Foi com alguma surpresa que o Boavista chegou ao 1-0, tendo de imediato o Benfica reagido e feito o 1-1 por intermédio de Alan Brandi. Contra a corrente de jogo, a equipa da casa voltou a fazer o 2-1, num erro clamoroso do nosso guarda-redes Bebé. Pouco depois, voltamos a empatar por intermédio de Ré. Praticamente na reposição de bola, o Boavista fez o 3-2. Resultado que se registava ao intervalo. Destaque nesta 1ª parte para a expulsão de Henmi que é absolutamente inadmissível para um atleta do Sport Lisboa e Benfica.


Na 2ª parte, o Benfica acertou em termos defensivos, começando a pressionar mais os adversários. Patias, através de duas grandes penalidades, colocou o Benfica a vencer por 3-4. Depois de estar em vantagem, a equipa de Joel Rocha tornou-se dona e senhora do jogo, tendo feito o 3-5 por Bruno Coelho, o 3-6 por Patias. Mesmo a terminar o jogo, Fábio Cecílio fez o 3-7, estabelecendo o resultado final da partida.


Na ressaca da boa prestação europeia, e sem jogadores decisivos, o Benfica teve uma vitória muito saborosa. Patias foi o homem do jogo.


Sábado, recebemos o Sporting em casa, às 14h30.


 

A equipa de Hóquei em Patins, deslocou-se a Viana do Castelo, onde defrontou a Juventude de Viana. Uma deslocação a um pavilhão sempre difícil. Sem grandes brilhantismos, o Benfica venceu por 3-6.


Ao intervalo, já íamos vencendo por 0-1, fruto de um golo de João Rodrigues a concluir uma boa jogada coletiva. No reatamento, fizemos o 0-2 por Marc Torra, tendo a Juventude reagido e reduzido para 1-2. Num jogo de parada e resposta com diversas oportunidades de golo para ambas as equipas, João Rodrigues voltou a marcar e a fazer o 1-3. Logo de seguida, o mesmo jogador fez o 1-4, dando alguma tranquilidade ao Benfica. Depois deste momento, controlámos sempre o jogo, pese a Juventude ter ainda reduzido para 2-4. No entanto, passados alguns minutos, Nicolia colocou um ponto final no jogo, fazendo o 2-5. Nos momentos finais ainda se assistiu a mais 2 golos. Primeiro por intermédio do nosso capitão Valter Neves, fazendo o 2-6, para depois o Juventude reduzir e fixar o resultado final em 3-6.

Este Benfica, para os jogadores que tem, joga pouco e de forma desequilibrada. Não percebo como entramos em campo com 2 jogadores muito semelhantes em termos de movimentação, como são os casos de Marc Torra e João Rodrigues. Assim como entramos com 2 jogadores defensivos como Valter e Tiago Rafael, ficando no banco jogadores como Diogo Rafael e Nicolia. Não seria mais produtivo um 5 inicial com Trabal, Valter, Diogo, Nicolia e João? Depois a rotação era feita com Tiago Rafael, Miguel Rocha, Adroher e Torra. É certo que no hóquei a titularidade não é relevante, pois todos jogam e não há limites de substituições, mas os 5 deviam ser equilibrados em termos de velocidade, fantasia e equilíbrio defensivo. A rever, por Pedro Nunes.


No fim-de-semana não jogamos, ficando agendado o derby com o Sporting para quarta-feira, dia 21, às 21h00. Nota negativa para o horário do jogo, já que coincide com o jogo da equipa de futebol na Turquia. Mais uma vez, os nossos rivais tiveram medo do pavilhão da Luz cheio. Recordo-me de um outro rival o ter feito na época passada e lhe ter corrido bastante mal. É repetir a dose esta temporada. 



Começou também este fim-de-semana o Campeonato Nacional de Voleibol. Na 1ª jornada, o Benfica recebeu e venceu o Vilacondense por 3-1, com parciais de 25-11, 19-25, 25-22 e 25-12.


Num encontro que seria teoricamente fácil, o Benfica teve um 1º set muito bom. Depois no 2º e no 3º set, demonstrou diversas desconcentrações que não são admissíveis para o nosso nível. No 2º fomos mesmo derrotados de uma forma clara. No 3º, estivemos a vencer folgadamente, mas permitimos a reação da equipa adversária, tendo depois a nossa maior valia em termos de qualidade dado para segurar a vitória. No 4º set voltámos ao nosso nível e vencemos confortavelmente.


No próximo sábado temos a sempre difícil deslocação a Espinho, onde defrontaremos o Sporting de Espinho, num jogo marcado para as 17h. No Domingo, recebemos às 17h um reforçado Castêlo da Maia.


 

Sábado, a nossa equipa de andebol recebe o Madeira SAD às 16h30, por isso, tudo se conjuga para um dia à Benfica nos pavilhões da Luz. Derby de Futsal, um sempre apetecível Benfica-Madeira SAD em Andebol e para terminar, um clássico entre Benfica e FC Porto em Basquetebol.

E porque o Benfica é mais do que futebol, tudo aos pavilhões!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:00

Fim de semana das Modalidades

por Miguel Martins, em 24.09.15

 

No jogo da 3ª jornada, a equipa de futsal do Benfica teve uma sempre difícil deslocação ao Fundão, onde defrontou a equipa local. Num jogo renhido, mas sempre com a ideia de estar controlado, vencemos por 1-3.

 

Com uma entrada muito forte, o Benfica desde cedo controlou o jogo, chegando à vantagem por intermédio de Ré, depois de uma boa jogada de Fernando. Pouco depois, o Fundão igualou, após uma perda de bola de Fábio Cecílio que permitiu ao jogador do Fundão aparecer completamente isolado frente a Juanjo. Ainda no decorrer da 1ª parte, o Benfica fez o 1-2 por intermédio de Fernando, com assistência de Ré.


Na 2ª parte, destaque para a exibição de Juanjo que segurou a vantagem, parando diversos remates perigosos da equipa adversária. Já com o Fundão a jogar em 5x4, o Benfica fez o 1-3 por Patias, após passe de Bruno Coelho. 

 

Vitória da melhor equipa num dos terrenos mais complicados do campeonato.


Sábado, defrontamos na Luz o CS São João, pelas 16h.

 




A equipa de basquetebol estreou-se em jogos oficiais com uma jornada dupla frente à Oliveirense para o Troféu António Pratas. O primeiro jogo foi na sexta-feira em Oliveira de Azeméis, onde vencemos por 68-77. Uma vitória tranquila da melhor equipa, embora ainda sem Cook, ausente por doença tal como o nosso técnico Carlos Lisboa.


Ao intervalo já íamos vencendo por 38-42, sendo que na 2ª parte alargámos a vantagem fruto da inspiração de Nuno Oliveira e Carlos Andrade. Os dois melhores jogadores em campo.


Os pontos foram marcados por: Carlos Andrade (19), Nuno Oliveira (15), Mário Fernandes (11), J. Wilson (8), João Soares (7), Marko Loncovic (6), Frederick Gentry (6), Tomás Barroso (3) e Diogo Gameiro (2).

 

 

No Domingo, o duelo voltou-se a repetir, desta vez em casa e já com Cook em campo. O Benfica voltou a vencer, desta vez por 71-64.


Num jogo com 2 partes distintas, a nossa equipa desde cedo controlou o jogo, chegando ao intervalo a vencer por 44-33. Na 2ª parte, fruto de uma reação da Oliveirense e de algum desacerto da nossa parte, o jogo equilibrou. Através de um forcing final, voltámos a descolar, vencendo o jogo com toda a naturalidade.


Destaque para a boa exibição de Carlos Andrade que para além dos pontos que marcou, defendeu extremamente bem.


Os pontos foram marcados por: C. Andrade (14), M. Loncovic (14), F. Gentry (11), D. Cook (10), T. Barroso (6), M. Fernandes (6), N. Oliveira (5), J. Wilson (4), C. Fonseca (1).


Sobre os reforços - embora ainda seja cedo para retirar grandes conclusões - já deu para ver que Cook é um atirador e que passará muito por aí o jogo do Benfica. Nuno Oliveira é um jogador com grande capacidade de penetração e forte no tiro exterior e que tanto Loncovic como J. Wilson se sentem muito bem próximos do cesto.


No próximo sábado temos um clássico, com o Benfica a defrontar o FC Porto às 21h, no Complexo Desportivo Municipal de São Pedro do Sul.

 




Em andebol, o Benfica teve um jogo tranquilo na Luz frente ao Avanca, onde a vitória nunca esteve em causa. Vencemos por 30-19 e ao intervalo já íamos liderando o marcador por 13-10.


Destaque para mais uma bela exibição do Belone Moreira que é definitivamente o reforço desta temporada. Grande jogador.


Os golos foram apontados por: Belone Moreira (7), Paulo Moreno (6), Davide Carvalho (5), Elledy Semedo (5), Uelington da Silva (2), João Pais (2), Javier Borragán (1), Tiago Ferro (1) e Tiago Pereira (1).

 

Sábado, às 18h30, defrontamos fora o Passos Manuel.

 




Destaque ainda neste fim-de-semana para a abertura oficial da época em Hóquei em Patins, com a disputa da Supertaça. Vão defrontar-se o Benfica, campeão nacional e vencedor da Taça de Portugal, e o finalista vencido da Taça de Portugal, o Sporting. Independentemente de tudo, é para ganhar, algo que esta secção tanto tem feito no seu passado recente. Depois de uma pré-época recheada de jogos e condicionada por algumas lesões, é importante vencer o primeiro troféu oficial da época e não repetir o erro do ano passado.

 

O jogo será no domingo às 18h, em Aljustrel, no Pavilhão Municipal de Desportos Armindo Peneque.

 

E porque o Benfica é mais do que futebol, tudo aos pavilhões!!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:45

Semana das Modalidades

por Miguel Martins, em 17.09.15

 

A semana das modalidades começou da melhor forma no sábado, quando a equipa de futsal do Benfica recebeu e venceu uma aguerrida e bem trabalhada equipa do Leões Porto Salvo por 4-2. Pese a boa réplica adversária e o resultado nivelado, o jogo foi mais um autêntico “massacre” em termos ofensivos da equipa de Joel Rocha, com imensas oportunidades de golo desperdiçadas. Quer seja por demérito dos nossos jogadores ou por mérito do guarda-redes adversário.


Ao intervalo, o Benfica ia vencendo por 1-0, fruto de um golo de Rafael Henmi, depois de uma recuperação de bola de Chaguinha. Na 2ª parte os visitantes empataram o jogo, mas Patias devolveu a liderança no marcador aos encarnados. De seguida, os visitantes voltam a empatar o jogo, e Patias volta a marcar para o Benfica, fazendo 3-2. A cerca de 3 minutos do fim, Fernando fez o 4-2, quando o Benfica estava com mais uma unidade em campo, depois da expulsão por acumulação de amarelos de um jogador dos Leões de Porto Salvo. Não existiu mais nenhuma alteração no marcador, e 4-2 foi o resultado final.

Esta equipa está muito bem trabalhada, apresenta um ritmo bastante elevado e um futsal muito agradável e com bastante mobilidade. Destaque também para a forma como a equipa defende. O melhor em campo foi Patias que, com os seus 2 golos mostrou toda a sua qualidade.

No próximo sábado, às 15 horas, o Benfica tem uma difícil deslocação ao Fundão, onde defrontará a equipa local.

 



Seguidamente na Luz, a equipa de Andebol recebeu o Fafe, tendo vencido por 33-27, num encontro com duas partes muito distintas. Fruto de uma boa entrada em campo, o Benfica chegou a estar a ganhar por 9-5, momento em que o Fafe reagiu e virou o resultado para um 13-15 que se verificava ao intervalo. Na 2ª parte, a equipa do Benfica regressou mais concentrada e com uma atitude defensiva de maior qualidade, que se traduziu numa vitória tranquila.

É inadmissível o que se passou nos minutos finais da 1ª parte, a agressividade defensiva e a concentração têm de estar sempre presentes e tal não se verificou. Uma situação a rever.

O melhor em campo foi Belone Moreira que tem estado a um nível altíssimo, provando que foi uma belíssima aquisição do Benfica. Destaque ainda para o regresso de Elledy Semedo depois de lesão.

Os golos foram apontados por: Uelington (6), Belone Moreira (6),  Borragán (5), Hugo Lima (4), Elledy Semedo (2), João Pais (2) Davide Carvalho (2), Paulo Moreno (2), Hugo Freitas (2) e Tiago Pereira (2).



Ontem, a equipa do Benfica deslocou-se a Belém para defrontar o Belenenses, voltando a vencer mais um jogo, desta vez por 21-24. Entrámos bem no jogo e a 1ª parte foi muito equilibrada. No entanto, o Benfica voltou a ir para o intervalo a perder, com um resultado de 12-10, isto depois de ter liderado o marcador durante grande parte do tempo. Pese a expulsão de Elledy Semedo por volta dos 25 minutos, é necessário que a equipa seja capaz de ser mais regular, porque se neste tipo de jogos conseguimos dar a volta em outros podemos não o conseguir.

Na 2ª parte, fruto de uma bela exibição de Hugo Figueira e novamente de Belone Moreira – que jogador! -, o Benfica superiorizou-se ao adversário e venceu com toda a naturalidade. Vitória justa da melhor equipa.


Os golos foram apontados por: Belone Moreira (9), Paulo Moreno (3), Hugo Lima (3), Tiago Pereira (3), João Pais (2), Elledy Semedo (2), Hugo Freitas (1) e Borragán (1).


No próximo sábado, às 15 horas, defrontamos na Luz o Avanca.



Sexta-Feira começa a época da equipa de Basquetebol, com a 1ª jornada do Troféu António Pratas, onde o Benfica vai defrontar a Oliveirense em Oliveira de Azeméis às 21 horas. É a primeira oportunidade de ver os reforços em acção.

E porque o Benfica é mais do que futebol, tudo aos pavilhões!!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:30

Fim-de-Semana das Modalidades

por Miguel Martins, em 06.09.15

 

A equipa de futsal do Benfica começou ontem a defesa do título nacional. A deslocação a Vila do Conde terminou com uma vitória por 0-9 sobre o Rio Ave. Num encontro sem grande história, o Benfica desde cedo controlou o jogo, batendo sem grande dificuldade a equipa da casa.


Ao intervalo, a equipa de Joel Rocha já vencia por 0-3, com golos de Chaguinha, Brandi e Ré. Na segunda metade assistiu-se ao avolumar do resultado, com golos de Fernando, Henmi, Fábio Cecílio, Brandi e mais dois de Ré. Destaques individuais para as exibições de Ré e de Fernando. O reforço argentino já é muito importante na manobra da equipa, sendo ele que controla e impõe o ritmo, sabendo aquilo que o jogo pede em cada momento.

Nota ainda para as ausências de Patias, castigado em virtude da expulsão na Supertaça e de Jefferson, que se encontra lesionado no menisco, não havendo ainda uma previsão para quando estará novamente disponível.

No próximo fim-de-semana, os campeões nacionais recebem os Leões de Porto Salvo. 


Começou também ontem o campeonato de Andebol, com o Benfica a receber o ISMAI e a vencer por 29-22. Fruto de uma entrada muito forte, o Benfica chegou ao resultado 8-1 muito cedo, gerindo depois esta vantagem ao longo do jogo. Ao intervalo, o resultado era de 17-6, sendo que na segunda parte existiu um equilíbrio maior devido à rotação de jogadores por parte do treinador do Benfica. O ISMAI equilibrou um pouco mais o resultado, mas sem nunca colocar em causa a vitória da equipa encarnada.

Os golos foram apontados por Davide Carvalho (3), Borregan (3), João Pais (6), Hugo Freitas (2), Belone Moreira (5), Paulo Moreno (2), Uelington Ferreira (5) e Hugo Lima (3).

 

Destaque para as exibições de Hugo Figueira e para a estreia de Belone Moreira. Foram os dois atletas em maior evidência, sendo que Uelington também mostrou características muito interessantes.

De realçar a forte aposta feita nos jovens oriundos da formação neste jogo. Foram diversos os jogadores jovens com minutos, tendo Hugo Freitas sido aquele que esteve em maior destaque.

Na próxima semana a equipa de Andebol do Benfica volta a jogar em casa, onde receberá o Fafe.

 

E porque o Benfica é mais do que futebol, tudo aos pavilhões!!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:20

A Supertaça é nossa!

por Miguel Martins, em 01.09.15

 

Disputou-se no domingo passado a Supertaça de Futsal. Em campo estava o Sport Lisboa e Benfica, campeão nacional e vencedor da Taça de Portugal, e o Fundão, finalista vencido da Taça de Portugal.

Foi um encontro de sentido único. Um Benfica muito forte, mas com grandes dificuldades em finalizar as jogadas com êxito. Foi com surpresa e injustiça que o Fundão chegou ao intervalo a vencer por 0-2, fruto dos golos de Anilton e Márcio Moreira. No reatar do jogo fez inclusive o 0-3, com mais um golo de Anilton. Por esta altura, o Benfica já tinha enviado 5 bolas aos postes e falhado inúmeras oportunidades de golo. Falhas por demérito na finalização ou por mérito do inspirado Iago Sanchéz, guarda-redes do Fundão.

A cerca de 8 minutos do fim do jogo, por intermédio de Bruno Coelho, o Benfica marcou o seu primeiro golo, obtido através de uma bela jogada coletiva e que fazia renascer a esperança. Com um público entusiasta, a equipa estava galvanizada e passou a jogar em 5x4. Através dessa superioridade numérica no ataque, Fernando reduziu o marcador para 2-3 a 3 minutos do fim, num lance em que Iago não esteve isento de culpas. A menos de 1 minuto para o fim do jogo, Joel Rocha pediu o desconto técnico a que tinha direito na 2ª parte, preparando assim o derradeiro lance do jogo. A jogada ensaiada acabou por resultar no golo do empate com alguma sorte à mistura, mas com imenso mérito o Benfica igualou a partida por Alan Brandi. Estava colocada um pouco mais de justiça no resultado.

O prolongamento não teve grande história. O Benfica dominou e materializou o seu domínio marcando 3 golos sem resposta, por intermédio de Fábio Cecílio, Juanjo e Fernando, sendo 6-3 o resultado final do jogo. 

Resultado inteiramente justo e que pecou por escasso. A equipa de Joel Rocha fez mais de 70 remates durante o jogo, enquanto o Fundão fez apenas 9. Entre bolas no poste, defesas de Iago ou golos salvos em cima da linha, existiu de tudo. A melhor descrição para este jogo está nas palavras do nosso treinador, Joel Rocha:

«Foi um jogo com todos os ingredientes, com 50 minutos de qualidade, argumentos diferentes, superação e entusiasmo. Quero deixar um agradecimento para quem tanto acredita naquilo que faz. Tivemos inúmeras ocasiões, estivemos em desvantagem mas conseguimos vencer. É este o carácter e as qualidades desta equipa. Somos muito mais do que uma equipa de futsal, somos uma equipa de Homens com H muito grande. Obrigado aos nossos adeptos que se fizeram ouvir e sentir. Obrigado a todos. O Fundão obrigou-nos a tudo dentro do nosso processo e mostrámos mais uma vez que acreditamos muito no que fazemos. É esta a nossa identidade»

Destaque para a exibição de Fernando, é o reforço desta temporada.

 

Parabéns Sport Lisboa e Benfica, a Supertaça é nossa!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:00

Voleibol 2015/2016

por Miguel Martins, em 31.08.15

 

Depois de vencer todas as provas nacionais e chegado a uma final europeia, a equipa de Voleibol do Benfica parte para esta época com várias mexidas. Estas alterações no plantel devem-se, em parte, ao sucesso alcançado, já que vários jogadores estiveram numa montra mais alargada na Europa, onde há outra visibilidade.

 

Com muita pena, o plantel viu sair os distribuidores Vinhedo e Perini, os centrais Marc Honoré e Kibinho, o zona 4 Flávio Cruz e ainda o libero João Magalhães. Para além destes jogadores, José Jardim, jovem distribuidor, saiu por empréstimo para o Caldas.

São diversas mexidas num grupo muito forte. Vinhedo, Perini e Honoré tiveram propostas com as quais não podíamos de forma alguma competir. Deixam saudades a quem acompanhou a equipa.

Para colmatar estas saídas, o Benfica fez diversas contratações. Do UJFJ da Superliga brasileira, chega o distribuidor Danilo Gelinski, de 25 anos e 1,90 metros. É um jogador experiente e com um passado interessante numa liga extremamente competitiva. Para a mesma posição, volta aos pavilhões da Luz um velho conhecido, Paulo Renan de 30 anos. É um jogador regular e que poderá acrescentar experiência e qualidade vinda do banco.

Para a posição de central, chega o brasileiro Rogério. Oriundo do SESI, tem 30 anos e 2,07 metros, sendo uma das grandes esperanças da época, pois é um jogador com um currículo muito vasto. Tem a difícil missão de fazer esquecer Honoré. Para a mesma posição, chega da liga francesa o holandês Mart van Werkhoven, com 23 anos e 2,06 metros. É expectável que vá ser um elemento para a rotação no plantel.

Da Fonte de Bastardo, chega Ivan Kolev, jogador da posição de zona 4. Tem 28 anos, cerca de 2 metros e é conhecido pelo seu forte serviço. Foram estas as contratações do Benfica.

A equipa continuará a ser orientada pelo professor José Jardim. No plantel, continuam o capitão Hugo Gaspar e Ché para a posição de oposto, Roberto Reis, André Lopes e João Oliveira para a posição de Zona 4, Zelão para central e Ivo Casas como libero. Destaque ainda para a promoção do jovem Robertto Rychard, oriundo da equipa de juniores e que joga a libero.

Esta época poderá ser marcada pela afirmação de uma das maiores promessas do voleibol nacional – na minha opinião já é uma certeza – que é o João Oliveira. É um jovem que chegou ao Benfica oriundo do Vitória de Guimarães em 2013 e que paulatinamente tem vindo a ganhar o seu espaço, mesmo concorrendo com jogadores como Roberto Reis, André Lopes ou Flávio Cruz na sua posição. Este ano, com a saída de Flávio Cruz, terá todas as portas abertas para se impor de forma definitiva na equipa do Benfica. O voleibol nacional também agradecerá muito que isso aconteça.

Esta será uma época complicada, as mexidas foram muitas e a fasquia está muito alta, depois da melhor época da história da secção. É esperar que os reforços sejam grandes mais-valias e que se continue a trabalhar bem como tem acontecido nas épocas anteriores.

Porque o Benfica é mais do que futebol, tudo aos pavilhões!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:00

Basquetebol 2015/2016

por Miguel Martins, em 24.08.15

 

Após uma época fantástica em termos de resultados, o Benfica procedeu a alguns reajustes no plantel da sua equipa de Basquetebol.

Saíram os fantásticos Jobey Thomas - que terminou a carreira - e Seth Doliboa. Foram dois jogadores que marcaram os Benfiquistas com toda a sua qualidade, dedicação e títulos. Jobey, era mesmo de muito longe o melhor jogador em Portugal. Saíram também Ronald Slay que esteve cá uma época, Fábio Lima que teve uma fugaz passagem pelo Benfica e Artur Castela, um jovem oriundo da formação que foi cedido ao Galitos.

Para suprimir estas saídas, o Benfica fez primeiramente um ataque ao mercado nacional. Do Barcelos chegam o base/extremo Nuno Oliveira e o extremo/poste Marko Loncovic. Nuno Oliveira é um internacional português que tinha vindo a ser um dos destaques da nossa liga. Loncovic foi também um dos melhores jogadores da época passada e chega após obter a nacionalidade portuguesa.

Do mercado internacional, vemos chegar Jeremiah Wilson, oriundo do Denizli da Turquia e que pode jogar a extremo ou poste. Vem com o rótulo de ser um bom ressaltador e um lançador claramente acima da média, sendo também fisicamente muito forte e rápido.

O outro jogador americano contratado, foi uma bomba no mercado de transferências da nossa liga. Trata-se do jogador com maior currículo que já passou por Portugal, um jogador com passado recente na NBA, que jogou inclusivamente uma final, tendo vencido também o concurso de lançamentos triplos do All Star Game. Falo de Daequan Cook, um base/extremo que vem do SPO Rouen Basket da Liga Pro-A Francesa e que foi o 3º melhor marcador da prova. Este será o jogador da liga e o legitimo herdeiro de Jobey.

Da época passada, mantém-se Carlos Lisboa e restante equipa técnica . Ficaram também no plantel o capitão Diogo Carreira, Tomás Barroso, Mário Fernandes e Diogo Gameiro para a posição de base, Carlos Ferreirinho para base/extremo, Carlos Andrade e João Soares para extremos, Gentry e Cláudio Fonseca para postes.

Olhando para este plantel, salta à vista não estarem totalmente preenchidas as vagas de americanos - temos espaço para mais um - e a de comunitário não é preenchida também. O Benfica poderia optar por tentar trazer mais um poste, alguém que fosse capaz de trazer os centímetros que na Europa podem marcar a diferença, mas neste momento essa opção ficou colocada de parte, sabendo que o mercado fecha apenas em Janeiro. Nessa luta das tabelas, já sabemos que de Gentry podemos esperar muita regularidade, entrega e defesa de grande qualidade. Cláudio Fonseca tem de se assumir como opção válida, para isso tem de mostrar mais vontade, mais garra, mais empenho, já que aquilo que mostra na maioria das vezes é curto. Tem capacidade para mais, muito mais, e apenas depende dele.

Depois de uma época onde fomos capazes de ganhar os 5 troféus oficiais em Portugal, o Benfica tem a difícil missão de repetir a mesma dose, sabendo que o grande rival está de volta e tentará quebrar essa hegemonia.

Por que o Benfica é mais do que futebol, tudo aos pavilhões!!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:20

Hóquei em Patins 2015/2016

por Miguel Martins, em 19.08.15

 

Após uma época de sucesso, a equipa de Hóquei em Patins do Benfica apresenta-se ao trabalho com poucas mudanças no plantel. Saíram dois jogadores e entraram outros dois, e que dois reforços o Benfica conseguiu.

Da equipa que fez a dobradinha a nível nacional, saem os internacionais argentinos Tuco e Carlitos, dois jogadores que foram decisivos no regresso à glória desta secção. Em especial Carlitos, um profissional fabuloso, um génio na pista e um grande ser humano, faltando-me as palavras para o descrever. É com muita pena que o vejo partir, mas faz parte do desporto.

Para colmatar estas saídas, o Benfica atacou o mercado cirurgicamente, e trouxe 2 internacionais espanhóis com imensa qualidade. 

Jordi Adroher chega dos italianos do Breganze. É um avançado fantasista e muito evoluído tecnicamente, chega aos 30 anos com muita vontade de vencer. É o substituto natural do Carlitos no que às características diz respeito. O outro reforço, é o consagrado Marc Torra, que chega depois de muitos anos no Barcelona. É um avançado extremamente completo e dos melhores jogadores do mundo, também com 30 anos.

O restante plantel transita da época anterior, Trabal e Pedro Henriques na baliza, o capitão Valter Neves, Tiago Rafael, Diogo Rafael, Miguel Rocha, João Rodrigues e Carlos Nicolia, que chega para esta época como campeão do mundo, depois de ter sido o melhor jogador desse Mundial.

Ao olhar para estas alterações, salta à vista o facto de o Benfica ter visto sair um defesa e um avançado, tendo contratado 2 avançados. Esta troca irá possibilitar o recuo de 2 jogadores para as suas posições origem. Na teoria, iremos ver Diogo Rafael e Miguel Rocha a serem utilizados como parceiros de Valter no duo mais recuado.

Diogo é um jogador tecnicista, extremamente veloz e com um bom remate, aparecendo embalado de trás é muito complicado de ser parado. Penso que esta troca irá beneficiar o jogo dele. Já Miguel Rocha é conhecido pelo seu forte remate, recuando terá mais possibilidades de o colocar em prática. Recorde-se que na formação ambos jogavam nesta posição.

Para além disto, o hóquei é cada vez mais um desporto colectivo onde a distinção entre defesas e avançados é menos perceptível. Até nisso este plantel está bem apetrechado, pois Marc Torra é um avançado que defende extremamente bem.

Pedro Nunes tem desta forma um plantel de luxo para atacar todos os troféus, tanto em Portugal como na Europa. É um plantel versátil e a seu gosto.

Porque o Benfica é mais do que futebol, tudo aos pavilhões!!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:30

Andebol 2015/16

por Miguel Martins, em 27.07.15

 

Depois do ano zero (época 2014/15), o Benfica parte para esta época com ambição de voltar a lutar pelo título de forma real. Para isso, Mariano Ortega fez algumas mudanças no plantel.

Terminou a “limpeza” que tinha começado na época passada, tendo visto sair os elementos que tinham sido campeões em 2007/08, Carlos Carneiro e Pedroso. De saída, estão igualmente elementos de grande valia mas que na Luz nunca atingiram a plenitude das suas capacidades, Dario Andrade, José Costa e os espanhóis Álamo e Pujol.

Para colmatar estas saídas o Benfica atacou o mercado tendo feito aquisições cirúrgicas. Começando na baliza com Nikola Mitrevski, um guarda-redes de 29 anos, 1.88 metros e 84Kg, oriundo do HC Metalurg que participou na Liga dos Campeões e que traz excelentes referências. Da Macedónia chega igualmente Dragan Vrgoc, um pivot de 25 anos, 2.04 metros e 120 Kg que vem rotulado de excelente defensor e de ser eficaz no ataque.

Uma das lacunas da equipa na época passada, era a falta de um “bombardeiro” na primeira linha, alguém que fizesse a diferença que Zaikin fez nos anos em que cá esteve. Para isso ser colmatado, o Benfica contratou o lateral esquerdo brasileiro Uelington Ferreira, que com 28 anos, 2.02 metros e 100 Kg chega para isso mesmo. Além disto, e devido às suas características físicas, dará certamente também uma grande ajuda defensivamente.

Do mercado nacional chega o versátil Belone Moreira de 25 anos, 1.80 metros e 80 Kg. Conhecido para sua versatilidade, pode jogar a lateral direito sendo fortíssimo nas penetrações ou a ponta direito. Destaque ainda para o regresso de Hugo Lima, um central de grande qualidade e que na época passada esteve cedido ao Madeira SAD, tendo realizado uma época muito positiva.

A estes 4 reforços, junta-se a base da época passada. Hugo Figueira na baliza, Tiago Pereira e Gonçalo Pereira como centrais, Paulo Moreno a pivot, Elledy Semedo e Cavalcanti a laterais esquerdos, Borragan a lateral direito, João Pais e Tiago Ferro na ponta esquerda e Davide Carvalho na ponta direita.

É um plantel muito jovem, mas com muitos jovens de qualidade, como são os casos de Paulo Moreno que fez uma excelente temporada em 2014/15, Gonçalo Pereira, Cavalcanti, Tiago Ferro e Davide Carvalho, quatro das maiores promessas do andebol português.

A luta pelo título será complicada. A equipa é jovem, mas tem muita margem de crescimento, sendo que as esperanças de uma época de grande qualidade recaem sobretudo nos estrangeiros que chegam porque já sabemos que podemos contar com uma boa capacidade de remate de Borragan, de penetração aos 6 metros de Tiago Pereira e da irreverência de Elledy.

Como ponto menos positivo deste plantel, destaca-se a falta de um ponta esquerdo de maior experiência e valia. Por isso, todos esperarmos que Tiago Ferro mostre no imediato toda a qualidade que lhe é apontada.

Infelizmente, nem tudo saiu como o Benfica queria e merecia. Neste momento, tem uma grande incógnita que é o António Areia pois tem contrato mas quer assinar por um rival. Absolutamente lastimável a atitude deste jogador, espero que o Benfica não ceda a pressões e o obrigue a pagar tudo o que deve pagar ao clube para ir jogar onde quer. Aguardemos pelo resultado desta situação, pois pode vir a ser um marco de viragem nas modalidades de pavilhão em Portugal.

Porque o Benfica é mais do que futebol, tudo aos pavilhões!!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:12







Sobre nós

Do futebol ao hóquei, do basquetebol ao voleibol, uma visão livre, imparcial e plural do Sport Lisboa e Benfica.



Contacte-nos por e-mail


Licença Creative Commons


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D