Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Semana das Modalidades

por Miguel Martins, em 19.11.15

 

No sábado, a equipa de Basquetebol do Benfica teve a sempre difícil deslocação aos Açores, onde bateu por 67-69 uma aguerrida formação do Lusitânia.

Sem Cook, entrámos muito mal no jogo e sofremos um parcial de 8-0. Depois disso, corrigimos alguns aspetos e no final do 1º período vencíamos por 8-10. A vantagem acabou por ser alargada no 2º período, e ao intervalo vencíamos por 30-39. Na segunda parte, o equilíbrio foi a nota dominante, mas o Benfica nos momentos decisivos foi mais eficaz conquistando mais uma vitória.

Destaque para boa exibição de Wilson com 19 pontos e 7 ressaltos.

Os pontos foram marcados por: Wilson (19), Carlos Andrade (14), Tomás Barroso (11), Mário Fernandes (6), Nuno Oliveira (6), Radic (4), Cláudio Fonseca (4), João Soares (3) e Loncovic (2).


Ontem, defrontámos o Cibona e averbámos a terceira derrota na FIBA Europe Cup, desta feita por 74-66.

Este foi um jogo com duas partes distintas. Na primeira parte a nossa equipa esteve horrível, mas na segunda já estivemos mais próximos do nosso real valor, conseguindo equilibrar o jogo. Ao intervalo íamos perdendo por 44-29, com parciais de 25-13 e 19-16 nos dois períodos. Não há como escamotear, foi uma primeira parte horrível da nossa parte.

Falhámos imensos cestos fáceis, faltou agressividade defensiva - uma autêntica passadeira - e no ataque estava tudo demasiadamente estático. Wilson chegou ao intervalo com 1 ponto e Cook com 3 - triplo no final do 2º período. Acho que isto demonstra bem como foi mau.

No regresso das cabines, o Benfica voltou transfigurado e equilibrou o marcador, ficando num ápice a 4 pontos de distância. O pior foi que depois permitimos que Cibona fugisse novamente no marcador. Vencemos o 3º período por 14-21, fazendo o resultado de 58-50 no final do mesmo. No 4º período, o desacerto voltou novamente - embora nada que se possa comparar ao que ocorreu na primeira parte - e o Cibona conquistou uma vitória natural e esperada. Faltou algum traquejo, porque sempre que nos aproximámos não fomos capazes de fazer a diferença descer dos 4 pontos.

Os pontos foram apontados por: Cook (22) Carlos Andrade (14), Ivica Radic (12), Mário Fernandes (8), Wilson (6), Tomás Barroso (2) e Nuno Oliveira (2).

As derrotas na FIBA Europe Cup são naturais e esperadas, mas há ilações a retirar. O Benfica apresenta uma má rotação e distribuição de minutos de jogo, e isso acontece também nas competições nacionais. É incrível ver jogadores como Nuno Oliveira, Loncovic ou João Soares - três dos melhores jogadores da época passada em Portugal - com tão pouco tempo de jogo. O Benfica está nas competições europeias para engrandecer o seu eclectismo, mas também para evoluir os jogadores. Por isso, é lamentável não dar tempo de jogo a três jovens que podem ficar muitos anos por cá, ao contrário de Carlos Andrade, Wilson ou Cook que, estão em final de carreira ou de passagem por cá. Não quero com isto dizer que se deva abdicar destes jogadores, pois são inequívocas mais-valias, mas a rotação tem de existir. Ontem notou-se bem no 4º período a falta de frescura e discernimento da nossa equipa.

É um aspeto a rever sem qualquer dúvida por Carlos Lisboa.

Sábado, vamos defrontar o Eléctrico em casa, às 16h.



Em Futsal, conseguimos um fantástico apuramento para a Final Four da UEFA Futsal Cup, com uma vitória por 2-0 frente ao Lokomotiv no derradeiro jogo.

A precisarmos de uma vitória por dois golos de diferença para garantir o apuramento sem ter de depender de terceiros, o Benfica encontrou um adversário que jogou extremamente recuado e que procurava nitidamente o empate. Sem apresentarmos um futsal muito vistoso, tivemos muitas dificuldades para criar oportunidades de golo. Quando as conseguimos, acabámos por falhar invariavelmente na finalização. Mediante isto, foi sem surpresa que se chegou ao intervalo com 0-0 no marcador.

Na segunda parte a toada foi-se mantendo, até que a cerca de seis minutos do fim, Fernando fez um belo golo e deu esperança aos Benfiquistas. A cerca de um minuto e meio do final do jogo, Joel Rocha arriscou tudo e colocou Bruno Coelho como guarda-redes avançado e acabámos por ter a sorte do jogo - sorte essa que tanto tinha faltado no resto da partida. Nos segundos finais quase perdemos a bola, mas Alan Brandi não desistiu, fez um passe de morte e Fábio Cecílio com uma frieza assinalável levou os Benfiquistas ao êxtase. Faltavam 2 segundos para o final da partida e o Benfica estava na Final Four da UEFA Futsal Cup.

 

 


Os restantes apurados são o Ugra, o Pescara e o Inter Movistar, faltando definir onde se irá realizar a Final Four.

Sábado, temos uma difícil deslocação a Braga, num jogo marcado para as 16h.



No Sábado, a equipa de Hóquei em Patins recebeu e cilindrou por completo o Candelária, sendo 13-1 o resultado final.

O jogo não teve praticamente história nenhuma como se prova pelo resultado. Ao intervalo já íamos vencendo por 11-1. Destaque para as exibições de João Rodrigues - 4 golos - e de Torra - 5 golos.

Adroher marcou 2 golos, Valter Neves e Miguel Rocha marcaram 1.

Mais um grande jogo com que esta fantástica equipa nos brindou.

Este sábado, temos uma difícil deslocação a Turquel, num jogo marcado para as 21h.

 


 

Em Voleibol, recebemos e batemos o SC Caldas no sábado por 3-1, com parciais de 25-20; 25-27; 25-16 e 25-19.

Foi um jogo complicado e em que o Caldas foi capaz de equilibrar todos os sets, vencendo inclusive o segundo parcial com inteiro mérito.

Destaque para a boa exibição de Zelão.


Ontem, para a Challenge Cup, recebemos e batemos o Biogas Volley Nafels por 3-1, com parciais de 25-19; 25-15; 16-25 e 25-20.

Se na primeira mão vencemos por 0-3, agora em casa acabamos por permitir que o adversário conseguisse vencer um set, mas apenas quando já estávamos mais descontraídos, fruto do apuramento já estar garantido. Num encontro bem jogado, começámos muito mal, chegando ao primeiro tempo técnico com um 3-8. Depois disto, a equipa encontrou-se e partiu para uma vitória categórica.

No 2º set dominámos sempre, conquistando uma vitória tranquila. No 3º set, fruto da rotação e de um certo relaxamento acabámos por permitir a conquista do set pelo adversário. No derradeiro parcial, voltámos ao nosso nível e a vitória apareceu com naturalidade.

Destaque para a excelente exibição de Ché.

A equipa está de parabéns, continua a sua campanha 100% vitoriosa - tanto internamente como na Europa – e na próxima fase vai defrontar o TopVolley Callant Antwerpen.

 

No próximo fim de semana temos jornada dupla. No sábado, em Espinho frente à Académica de Espinho, com início marcado para as 18h e no domingo recebemos o Leixões num jogo com início às 17h.



O campeonato de Andebol regressou no fim-de-semana passado com um derby, onde fomos derrotados por 31-28.

Foi um jogo equilibrado e onde acabou por imperar os maiores argumentos que o Sporting neste momento dispõe. Ao intervalo a equipa adversária já ia vencendo por 17-14. 

Os nossos jovens bateram-se bem e venderam cara a derrota, tendo inclusive estado na frente do marcador a 10 minutos do fim. Depois, as nossas falhas de concentração e de eficácia nos derradeiros minutos ditaram a vitória do Sporting.

Destaque para a boa exibição de Uelington com 7 golos.

Os golos foram apontados por: Uelington (7), Borragán (5), João Pais (4), Paulo Moreno (4), Belone Moreira (3).Davide Carvalho (2), Hugo Lima (2) e Vrgoc (1).


Terminou assim a primeira volta e é altura do balanço. 

Como é sabido, o Benfica viu sair aquele que tinha sido o melhor jogador da época passada. António Areia saiu de forma “inesperada” e não se colmatou essa saída. Temos aí - ponta direita - claramente uma lacuna, não querendo com isto culpar o Davide pelas duas derrotas que já averbámos e que são perfeitamente naturais, visto terem acontecido em casa dos dois maiores candidatos ao título. Acredito que esta equipa com mais um ou dois jogadores, seria capaz de estar mais perto do nível de Sporting e Porto.


Quanto aos reforços, nota positiva para Belone Moreira e para Uelington. Mitrevski tem estado razoável e Vrgoc muito mal. É necessário durante o mês de Janeiro proceder a algumas alterações, trazendo um ponta direito ou esquerdo de elevada eficácia, porque precisamos de variar o nosso estilo de jogo. Precisamos também de um pivot/central defensivo que, seja efetivamente, um reforço para a equipa. Vrgoc não tem estado nada bem - pesado, lento e com falta de empenho.

Para finalizar, nota muito positiva para os diversos jogadores oriundos da formação que vão jogando de forma recorrente nesta equipa e que têm estado muito bem. É este o caminho que temos de seguir, trazendo apenas de fora mais-valias inequívocas.

No próximo sábado, jogamos na Maia frente ao ISMAI pelas 19h.



E porque o Benfica é mais do que futebol, tudo aos pavilhões!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:50








Sobre nós

Do futebol ao hóquei, do basquetebol ao voleibol, uma visão livre, imparcial e plural do Sport Lisboa e Benfica.



Contacte-nos por e-mail


Licença Creative Commons


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D