Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O caminho é o talento

por P1nheir8, em 16.07.16

 

Por estes dias decorre o Europeu de sub19 na Alemanha. Como já tinha falado num artigo recente, a formação do Benfica ia estar representada em grande número e com muita qualidade. Infelizmente, só um dos jogos teve transmissão e o próximo também não terá (o que é inqualificável). No jogo contra uma das maiores potências mundiais na formação ou mesmo a maior, pudemos ver tudo aquilo que dois craques da formação do Benfica têm para mostrar.

 

Pedro Rodrigues voltou a mostrar o jogador fantástico que é. Uma capacidade inacreditável a construir jogo a partir da posição 6, quer seja com pressão ou sem pressão dos adversários, com passes a 3 metros ou a 30, a bola sai sempre redonda daqueles pés e com muita qualidade. Inúmeros passes verticais e que muitos deles quebraram todas as linhas da equipa da casa, assim como a encontrar sempre a melhor solução possível, percebendo quase sempre o que fazer em cada momento. Foi um regalo.

 

Se Pedro Rodrigues foi mais construtor, João Carvalho foi o maior criador. Incrível a inteligência, a tomada de decisão, a qualidade de passe, a técnica e o conhecimento do jogo que o jovem médio do Benfica tem. Jogou deslocado para a ala esquerda, onde rende menos que no corredor central, mas deslumbrou com as suas acções. É um jogador muito acima da média.

 

Numa altura em que os métodos defensivos estão cada vez melhores, que as equipas defendem melhor e com mais gente, que o metro quadrado é mais caro, que os espaços são muito mais difíceis de encontrar e ganhar, o Benfica não pode nunca abdicar destes dois talentos formados na nossa casa que utilizam muito bem a principal arma para desbloquear defesas organizadas: criatividade.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:46


5 comentários

De jorgen80 a 16.07.2016 às 15:36

O 6 de facto tem uma visão de jogo fora de série. Bastou-me um passe cheio de efeito para a direita para perceber a técnica do jogador. Não sei é se jogadores deste estilo mais on ball do que off ball têm futuro no futebol Europeu. Não é fácil ser Pirlo quando o que se exige ao 6 é que seja a âncora do equilíbrio defensivo. Por isso, é que jogadores como o William Carvalho são raríssimos: Fortíssimos na construção e no posicionamento.
E como este, já há o Rúben Neves que não sendo um portento físico, disfarça tal senão, com elevada personalidade e intensidade de jogo.

De Anónimo a 23.07.2016 às 06:02

"Por isso, é que jogadores como o William Carvalho são raríssimos: Fortíssimos na construção e no posicionamento."

Não acredito que li isto. William Carvalho é tudo menos fortíssimo na construção. Se falares destruição , ai posso concordar e concordo também com a parte do posicionamento, mas agora dizer que o homem é fortíssimo a construir jogo é estar a exagerar. Aliás a meu ver ele nem é um médio defensivo. Para mim ele é um central! Lento com bola, lento sem bola. Um poder de decisão bastante fraco e passes longos em 10 acerta 1 como se viu neste Europeu. Passes num raio de 5 metros ele é bom, raramente os falha. Mas mais uma vez dizer que William é fortíssimo na construção é uma mentira bastante grande...

Agora falando destes 2 meninos que são de OURO! O João Carvalho, devo dizer que já acompanho o desenvolvimento dele desde o ano passado, gosto bastante da forma como ele encara o 1 para 1. É quase "perfeito" nesse aspecto. Ainda há muito a trabalhar nele, mas acho que se pode dizer, este é daqueles que não engana.

Falando do Pedro, devo confessar, que não era um jogador que conhecesse, como conheço o João Carvalho. Mas devo dizer que pelo jogo que vi contra a Alemanha temos uma mina de ouro nesse menino. Falta melhorar posicionamentos, desarmes, capacidade de choque. Mas mais uma vez é daqueles que não engana. Para mim com o plantel que se tem e com as escolhas um pouco apertadas nessa posição Fejsa é um jogador que tem muitas lesões e para mim Samaris não é um médio defensivo competente, é razoável para a posição, mas ficaria melhor numa posição como Box-to-box .)

De resto temos muito "menino" bom nas camadas jovens. Nada me tira da cabeça que o Zé Gomes, nos próximos tempos está no plantel principal, algo há imagem de Renato Sanches. Não era para ser titular, mas quando agarrou o lugar nunca mais o largou. E até me atrevo a dizer, temos aqui um futuro Bola de Ouro.

De Anónimo a 16.07.2016 às 18:00

O vídeo é de facto extraordinário no que diz respeito a evidenciar as qualidades do Pedro Rodrigues, um jogador de quem não se fala muito mas de quem pessoalmente espero bastante . O João é craque apesar de ser complicado para ele afirmar-se na B. O Gonçalo também é um miúdo muito promissor.

De Pedro Ribeiro a 17.07.2016 às 13:26

Dois jogadores extraordinários. É urgente colocá-los a jogar na nossa equipa A. Têm lugar no plantel de caras.

De bcool973 a 17.07.2016 às 22:10

Boas Pinheiro,

Infelizmente não vejo espaço para que possam ter a hipótese de lutar por um lugar na equipa principal. Com Fejsa, Samaris e Cellis, mesmo que saia um, estarão dois à frente do Pedro Rodriues e todos sabemos que as oportunidades só aparecem quando há falta de soluções- foi assim com Éderson, foi assim com Lindelof e mesmo com o Renato. Do João Carvalho acho que nem vale a pena falar, nas alas temos 7 ou 8 soluções para 2 lugares, para 2.º avançado temos Jonas, Jovic, Guedes. O lugar mais desfalcado é o 8 onde só há André Horta e Talisca, a menos que Pizzi, Cervi ou Cellis sejam adaptados a essa posição.

Pessoalmente e tendo em conta os quase 60 jogos que o João já tem de 2.ª liga, optaria pelo empréstimo a um clube da primeira liga que tivesse um treinador que o quisesse e que pudesse apostar nele. Quanto ao Pedro, acho que pode ainda crescer um pouco na equipa B, pelo menos até Janeiro, até porque nunca foi uma aposta muito forte do Hélder e depois logo seria emprestado.

Se continuarem expostos só a estes estímulos irão parar de evoluir e quiçá mesmo regredir. O que vi do João contra a Alemanha, já não vi no final do campeonato no ano passado, pois parecia um jogador triste e desmotivado, como a maioria dos companheiros de equipa.

O problema é que se fala deles para a primeira liga e ouvem-se logo comentários de falta de vontade, de falta de intensidade, de falta de físico e outras coisas do género. Parece que as pessoas ainda não perceberam que com inteligência e técnica, os jogadores mais facilmente resolvem os problemas do que com a força, enfim...

Abraço e vê lá não te deixes ser confundido

Comentar post








Sobre nós

Do futebol ao hóquei, do basquetebol ao voleibol, uma visão livre, imparcial e plural do Sport Lisboa e Benfica.



Contacte-nos por e-mail


Licença Creative Commons


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D