Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Made in Benfica - João Carvalho

por P1nheir8, em 17.10.16

 

Natural de Castanheira de Pera, João Carvalho tem passeado todo o seu enorme talento nos relvados do Caixa Futebol Campus, isto depois de ter chegado em tenra idade ao Benfica.

 

Aos 19 anos, e no seu primeiro ano de sénior, é titularíssimo na equipa B do Benfica. Contudo, não se pense que apenas este ano rumou ao futebol sénior, já que está nesta equipa B desde 2014/2015. Se há dois anos fez 19 jogos (principalmente na 2ª metade da época), no ano passado fez 41, baixando aos juniores apenas para disputar os jogos da UEFA Youth League, onde o Benfica acabou por ser eliminado pelo Real Madrid.

 

Também nas selecções mais jovens tem sido aposta. Conta com internacionalizações nos vários escalões de formação e, neste passado Verão, esteve a representar Portugal no Europeu Sub-19, na Alemanha, onde esteve a bom nível. Recentemente, e mesmo sendo ainda sub-20, Rui Jorge chamou-o para os jogos da selecção sub-21, dando-lhe bastantes minutos e duas titularidades. João Carvalho não se fez rogado, pois em três jogos apontou dois golos e fez boas exibições. Também Rui Vitória já chamou o jovem médio para o embate contra o Besiktas, na Liga dos Campeões, apesar de depois ter ficado na bancada.

 

 

 

 

João Carvalho joga como médio ofensivo, mas também pode jogar num corredor lateral, fazendo vários movimentos para o interior. Por exemplo, da forma como joga a equipa A, é um jogador que pode perfeitamente fazer (e com muita qualidade) os movimentos que vemos Pizzi demonstrar em campo, partindo do exterior para o interior, onde depois desequilibrará. Tem uma percepção fantástica daquilo que é o jogo, tomando quase sempre a melhor opção das muitas que consegue percepcionar. Joga sempre de cabeça levantada, percebendo o que o rodeia e antecipando as acções dos restantes jogadores. Tem evoluído muito ao longo do tempo, já que ainda há alguns anos atrás estava menos desenvolvido que alguns colegas da sua geração, como Guga Rodrigues, Renato Sanches, Pedro Rodrigues ou mesmo Yuri Ribeiro. Chegou a ser, inclusivamente, suplente do meio-campo formado por Pedro, Guga e Renato.

 

Fisicamente, não é muito alto nem tem um corpo robusto, o que lhe trouxe algumas dificuldades em escalões mais jovens, já que estava constantemente a jogar contra jogadores com índices físicos mais desenvolvidos (e talvez por isso tenha sido algumas vezes preterido). Contudo, isso foi em certa medida positivo, pois ajudou-o a crescer, já que foi percebendo o que tinha de fazer para contornar esse handicap. Tem uma agilidade tremenda, o que o ajuda em muitos contextos que encontra no jogo, tendo também boa aceleração e velocidade.

 

É um jogador muito elegante em campo e tem uma excelente relação com a bola (o pé direito é o seu mais forte). É dono de uma admirável capacidade de passe, de boa condução de bola, de recepções deliciosas, de dribles curtos com qualidade e de tantos outros pormenores que deixam água na boca. Apesar de ser bom a transportar a bola, esse não é o seu movimento preferencial, sobretudo pelo campo inteiro e a tentar driblar a equipa adversária toda, sendo mais forte em espaços mais curtos, onde sai muito bem e coloca em prática toda a sua capacidade de pensar o jogo a uma velocidade incrível. A sua preferência é mesmo por um jogo triangulado, de combinações e dinâmico, em vez de um de transporte e transições sucessivas, embora também apresente qualidade na transição ofensiva, fundamentalmente devido à sua capacidade decisória. O seu remate e a forma como finaliza é algo que precisa de melhorar, já que aparece bem em zonas de finalização, necessitando depois de ser mais assertivo e frio. Devido à sua baixa estatura, consegue ganhar poucos duelos aéreos, mas não se cansa de o tentar fazer.

 

 

 

 

Movimenta-se muito bem no campo e tem uma excelente percepção de onde deve estar e daquilo que o jogo pede. Sabe quando tem de acelerar ou travar, e percebe onde tem de procurar a bola. Tem jogado a partir do corredor central, mas aparece muitas vezes nos corredores laterais durante o jogo, dando aí também soluções aos colegas de equipa. Pensa tudo a uma grande velocidade, com uma grande criatividade e juntamente com Pedro Rodrigues são jogadores que conseguem encontrar quase sempre a melhor solução para a sua equipa e que se entendem muito bem. Gosta de ter a bola em sua posse e não tem receio de a ter, mostrando-se aos colegas de equipa. Tem qualidade a avançar com o esférico e a fixar os adversários, entregando de seguida ao colega de equipa que está bem posicionado para receber e já sem oposição.

 

Defensivamente, tenta sempre ajudar a equipa a recuperar a bola, sendo normal que muitas vezes o vejamos no seu meio-campo defensivo a auxiliar os seus companheiros. Nos duelos onde os adversários colocam o corpo tem naturalmente dificuldades, mas é rápido a reagir à perda da bola e a ler onde muitas vezes os passes adversários vão entrar. Por vezes, ainda desaparece do jogo, precisando de conseguir manter-se mais constante durante os 90 minutos. Devido a isto e ao facto de não ser um jogador que passe o jogo todo a correr, muitos adeptos ainda não lhe dão o devido valor. Tem um perfil silencioso, não se envolve em problemas no campo, mostrando também uma grande maturidade. Apesar de toda a sua qualidade, não joga para ele próprio ou para a bancada, sendo um jogador de equipa.

 

João Carvalho é um dos maiores talentos do Benfica e até acho que já devia ter tido vários minutos na equipa principal, pois é um jogador com capacidades muito acima da média. Claro que também não entrará em qualquer estilo de jogo, já que as suas capacidades pedem um jogo mais de posse, onde ele terá bola para criar e desequilibrar (e tem enormes capacidades para o fazer) e não um estilo de jogo de pontapé para a frente. Esta já é a 3ª época do jogador na equipa B e há que pensar seriamente em fazer subir o jogador de patamar, dando-lhe outros estímulos, pois a sua qualidade é inegável e é, certamente, um jogador de futuro para o Benfica.

 

 

 

Vídeo feito por mim sobre o João Carvalho. Não se esqueçam de subscrever o canal do blogue no YouTube, e de ver os restantes vídeos dos jogadores Made in Benfica!

 

 

Primeiro, gostaria de agradecer a todos os que têm passado por cá e tornado esta rubrica um enorme sucesso. Em segundo lugar, quero também expressar o meu desagrado para com as pessoas que vêm aqui ao blogue ler o que escrevo, e que depois se apoderam indevidamente das minhas ideias, palavras e/ou expressões, reproduzindo os conteúdos, nos seus espaços, como se fossem delas. É uma situação chata, pois estas análises (e outras) não se fazem em poucos minutos, mas são o resultado de muitas horas de trabalho. Tenham atenção que, na barra lateral do blogue, estão os termos para a utilização, adaptação e reprodução do nosso conteúdo, que implicam a creditação dos mesmos. Por isso, tenham em consideração o trabalho que os outros têm e, caso utilizem informação do blogue, façam-no de forma justa, dando os respectivos créditos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:36


15 comentários

De RS a 17.10.2016 às 15:17

Em primeiro lugar acho que ainda não tinha aqui comentado em nenhum post teu com conteúdos desta nova rubrica. Muitos parabéns, está incrível.

Quanto ao João, o jogador que LFV "diagnosticou", há uns tempos, como o novo Aimar... Realmente tem uma técnica e visão muito boas, a juntar à raça e amor à camisola. Um protótipo de jogador moderno #freitaslobo. O maior defeito que apresenta é a falta de dimensão física que o leva por vezes a esconder-se do jogo, mas vai crescer, é inteligente para isso. Parece-me por vezes um pouco tímido também, algo que poderá prejudicar bastante a sua afirmação.

Não achas que o Benfica podia mudar a sua táctica para aproveitar melhor este jogador? Este e os outros criativos que temos. Abdicar de um dos homens da frente (especialmente sem Jonas na equipa) e apostar no uso de um 4-1-4-1/4-3-3, com dois 10 à frente de um pivot defensivo? Se pomos dois jogadores que sabem pensar como 10 ali no meio a abrir espaços, ganhamos muito potencial.

Salivo só de pensar numa hipotética equipa que daqui a 6/7 anos poderia ter, do meio campo para a frente, Pedro Rodrigues ou Guga a 6, Carvalho e Horta como 10, Zivkovic na direita, Guedes na esquerda e Zé Gomes a metê-las lá dentro. Claro que essa equipa hoje em dia poderia ser algo como Fejsa (6), Pizzi (10), Horta (10), Carrillo (direita), Rafa (esquerda), Mitro.

Quem é que anda a copiar os teus posts? Se os colocarem numa plataforma, como o facebook ou o blogspot, creio que podes denunciar.

De P1nheir8 a 18.10.2016 às 23:44

Boas RS,

Obrigado pelas palavras! :)

O João é um enorme talento. Tem um potencial extraordinário. Acho que já foi mais timido e isso talvez se justificasse pela falta de confiança que tinha ao ver-se ultrapassado em algumas escolhas e não ser figura principal, mesmo tendo tanto talento. Agora está diferente, apesar de ainda não se assumir totalmente, já tem outra presença e também outra "linguagem" em campo. Claro que a personalidade também conta, mas acredito que tem o que é preciso.

Eu acho que é preciso arranjar espaço para este jogadores dê por onde der. O Joãozinho penso que rende mais onde joga na equipa B (10), mas como referi no texto, na posição de Pizzi ou do outro lado, o rendimento dele seria também imenso, isto com um modelo que o ajude. O Pedro não creio que num modelo puro de 2 jogadores no meio-campo tenha facilidades. Aí será muito difícil para ele, mas aqui é preciso pensar no potencial do Pedro, que pode chegar ao top mundial e o Benfica tem de arranjar maneira de o fazer render. É um jogador inacreditável por tudo o que dará ao jogo. Basta pensar naquilo que o Weigl fez hoje e o Pedro até tem coisas que são melhores, apesar de estar ainda num nível mais baixo.

O futuro do Benfica é risonho. E podia ser mais. Só de pensar que apenas em jogadores da formação neste momento poderíamos ter na equipa A o Cancelo, Bernardo, André Gomes (tanta gente que defendeu a venda deles os 3 e agora....) e Renato. Não se pode é não apostar nos que estão aí a chagar e tapar-lhes os espaços. E mais ainda há para vir.

Abraço

De jorgen80 a 17.10.2016 às 15:21

Há tanto talento na formação que este aqui não me diz rigorosamente nada. Vamos ver no que dá.

De P1nheir8 a 18.10.2016 às 23:53

«este aqui» - Parece que estamos a falar de um jogador qualquer e que nada fez até agora no seu percurso até aos 19 anos.

Onde é que há talento? Quais são esses jogadores então? É que Do Guga o problema é o cabelo e as tatuagens. O Pedro também não porque este futebol não permite estes jogadores (e até se fala no Busquets e no Mascherano como jogadores com as mesmas caracteristicas). Agora o João também não diz nada.

De jorgen80 a 19.10.2016 às 07:00

O Pedro de Busquets e Mascherano não tem nada. É preciso analisar o jogador noutro patamar futebolístico. A 6 apenas, naquele estilo há muitos poucos jogadores a singrar. Poderá ser um bom complemento num duplo pivot, com maior liberdade, com um Fejsa a equilibrar a conta. Sozinho, terá sempre dificuldades nos jogos mais musculados.

Este João Carvalho até poderá ser fantástico, mas tem a idade do Horta, Guedes e Zivkovic que já andam no futebol de primeira há muito tempo e que me parecem mais jogadores que o João( E até tenho as minhas dúvidas em relação á verdadeira capacidade do Guedes. Devia jogar numa ala).

De bcool973 a 19.10.2016 às 09:22

O João só não está na equipa principal porque se investiram milhões nas posições que poderia ocupar - Pizzi 14, Cervi 5,5, Carrillo 5 (segundo se diz), Zivkovic 5 (segundo se diz), Salvio custou 13,5 e está a tentar ser vendido. Poderia jogar no lugar do Horta, talvez, mas o Horta beneficiou e muito de ter saído do Benfica e ter sido aposta no Setúbal aos 18 anos porque não havia quem lhe tapasse o lugar. Poderia ser opção como segundo avançado? Claramente, mas para isso era preciso que se lhe dessem a ele as oportunidades que o Guedes teve. O Benfica foi assolado por lesões e as opções foram sempre pela promoção do Zé Gomes que saltou dos juniores e ainda nem ritmo de segunda liga tem, enquanto que o João Carvalho foi preterido, por causa dos mais de 40 milhões gastos nas apostas que o Benfica fez.

O João Carvalho e o Pedro Rodrigues são em conjunto com o Bernardo Silva os jogadores mais talentosos e com maior potencial que saíram do CFC, sim qualquer dos 3 tem, na minha opinião, maior potencial que o Renato Sanches, por muito que não tenham uma transferência milionária com a idade que o Renato foi transferido. O Pedro Rodrigues sentou o Ruben Neves durante anos na selecção e com a promoção do Neves à equipa principal do Porto, este ficou três ou quatro anos mais avançado que o Pedro em termos de estímulos competitivos.

Nem o João Carvalho nem o Diogo Gonçalves deveriam ter começado a época na equipa B, mas antes ter sido emprestados a equipas da primeira liga para continuarem a crescer em vez de se tornarem numa espécie de salvadores da pátria a quem a equipa recorre quando não consegue resolver os problemas colectivamente. Foi a manutenção do Miguel Rosa demasiado tempo na equipa B que fez com que a carreira dele ficasse condenada à mediania devido aos vícios que foi ganhando.

De António Rodrigues a 17.10.2016 às 22:11

Mais uma excelente análise! Gosto de ver a classe e a atitude deste miudo, será que não podia ir jogando uns minutos a 8 na primeira equipa, tendo em conta a facilidade que tem no transporte e em encontrar colegas entre linhas adversárias, para além do apoio defensivo que já não é novidade para ele?

De P1nheir8 a 18.10.2016 às 23:56

Boas António,

Não creio. Não acho que o João seja 8, ainda por cima no modelo que temos na equipa A. Podia jogar sim, num corredor lateral como faz o Pizzi. Outra solução é no lugar do Jonas, mas mais num 1-4-3-3, estando um 6 e depois o Horta e ele.

De Carlos a 18.10.2016 às 08:54

Excelente resenha. Em certos pormenores fez-me lembrar o Shéu.
Reparei também nas citações abusivas dos vossos trabalhos, o que é de lamentar, em especial no "Ontem vi-te no Estádio da Luz", que tanto se arroga de ser impoluto.

De P1nheir8 a 18.10.2016 às 23:59

Grande Shéu. Um imortal do Benfica e que não tive o prazer de ver jogar, já que a minha geração é mais recente. :)

De Edgar a 18.10.2016 às 12:13

Caro P1nheir8, esta é mais uma análise muito agradável de ler!

Confesso que não é um jogador que me entusiasme, mas a sua análise deixa-me esperançoso.

Gosto muito desta nova rúbrica. Certamente o próximo artigo já está a ser trabalhado, mas teria muito gosto em ler a sua opinião sobre o Diogo Gonçalves.

De resto, referir que desde os primeiros passos deste blog que venho replicando os seus artigos no subreddit do Benfica, atribuindo sempre os créditos ao P1nheir8 e ao blog, deixando inclusive sempre um link para o artigo original. Aliás pedi autorização inicialmente. Isto já certamente há mais de um ano. Creio que se trata de uma questão de cortesia comum.

Abraço, e continuação de boa semana.

De P1nheir8 a 19.10.2016 às 00:04

Boas Edgar,

O Joãozinho é um jogador especial. Tenho enormes esperanças nele, assim como nos poucos que aparecem com esta genialidade.

O Diogo fará parte. ;)

Muito obrigado Edgar e eu lembro-me perfeitamente de falar nisso aqui e eu responder. Não tenho qualquer problemas em partilharem o meu trabalho, até porque é algo de positivo. O problema é quando o fazem de maneira desagradáveis e com o típico chico-espertismo tuga. Mais uma vez, obrigado por o fazer dessa forma.

Abraço.

De Edson Arantes do Nascimento a 18.10.2016 às 16:25

Claro, este não impressiona quase ninguém, especialmente aqueles - que ainda são a larga maioria - que passam o dia a fazer comparações de peso, altura, quantidade de músculos, e velocidade média vs. quilómetros percorridos.

Lamento desiludir-vos mas nada disso é fundamental para jogar futebol.

Este jovem é um jogador fantástico porque conhece o jogo como poucos e porque faz o mais difícil com uma naturalidade que chega a ser cómica. E se não for devidamente aproveitado no Benfica é porque o clube (entenda-se por clube o conjunto formado por direcção, atletas e adeptos) ainda não está verdadeiramente preparado para abraçar e amar um projecto de formação com pés e cabeça.

As mesmas palavras valem para o Pedro Rodrigues (excelente, excelente) e para outros que por lá andam ou andaram, como, por exemplo, era o caso do Bernardo Silva. É um prazer reconhecer que, hoje, o Benfica tem um perfil de jogador claramente definido e começa a se notar isso em todos os escalões: não interessam os músculos, nem a altura, interessa o perfil da pessoa.

As características dos atletas têm de se adaptar àquilo que é o Benfica - uma equipa, seja qual for o escalão, que tem a posse de bola na maior parte do tempo, que domina o adversário e que defronta equipas que se fecham muito e povoam as zonas defensivas. A melhor forma de furar estas equipas é ter jogadores inteligentes, com muita qualidade técnica e criatividade, da baliza até ao ponta-de-lança.

Obrigado por estes textos, que fazem mais pela cultura do clube do que muita coisa bonita na forma e desprezível no conteúdo.

De P1nheir8 a 19.10.2016 às 00:10

Muito bom comentário, Edson. Obrigado!

Abraço.

De bcool973 a 19.10.2016 às 09:34

Boas Pinheiro,

Falar do João Carvalho e do Pedro Rodrigues para mim é falar do melhor que já saíu do CFC. O talento, a inteligência, a leitura de jogo, a imprevisibilidade são traços marcantes destes jogadores a fazerem lembrar o menino Bernardo. Tenho pena que à semelhança dele, pareça não haver espaço na equipa sénior para estes talentos ainda não devidamente reconhecidos.

Para mim, a permanência esta época do João e do Diogo são puras perdas de tempo em termos da evolução dos jogadores. Com os jogos que já têm disputados na segunda liga, este patamar competitivo pouco mais pode fazer por eles em termos de estímulos que não seja promover a estagnação e a contribuir para criar maus vícios, nomeadamente a tentativa de resolução individual dos problemas que devem ser resolvidos de maneira colectiva, bem como adaptar o jogador a um ritmo que é manifestamente baixo para as exigências da alta competição.

Tenho para mim que o péssimo desempenho da equipa B na época passada motivou essa decisão, bem como a falta de espaço na equipa principal. Espero que em Janeiro essa situação seja corrigida e possam ser os dois mais o Pedro emprestados a equipas da primeira liga onde sejam expostos a um maior nível de exigência e sejam obrigados a sair da zona de conforto que é o Seixal para eles.

Quanto a esses copiadores que não reconhecem os créditos, é o prato forte da internet. No entanto, não te deixes desanimar, pois a malta gosta do teu trabalho continuará a vir cá e a divulgar o teu trabalho.

Forte abraço

Comentar post








Sobre nós

Do futebol ao hóquei, do basquetebol ao voleibol, uma visão livre, imparcial e plural do Sport Lisboa e Benfica.



Contacte-nos por e-mail


Licença Creative Commons


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D