Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Impulso ou planeamento?

por P1nheir8, em 18.11.15

 

Infelizmente, são várias as coisas que me têm desiludido no trabalho de Rui Vitória no Benfica. Não entrando hoje no campo do futebol praticado pela equipa ou pelas ideias - falta delas -, vou falar da forma como as escolhas dos jogadores têm sido feitas na equipa principal. 

 

A equipa do Benfica disputou 5 jogos amigáveis antes do primeiro jogo oficial. Foi uma pré-época algo atribulada e mal planeada. Equipa em constantes viagens, a jogar em condições que não a favorecem em nada, horários completamente diferentes dos de Portugal, muito tempo sem jogos e depois outros todos seguidos, entre outras coisas. Mesmo assim, nestes jogos dava para ir preparando a equipa e os jogadores com vista aos jogos que se avizinhavam. E claro, ter as ideias de quem contava ou não contava para a equipa. 

 

No jogo da Supertaça contra o Sporting, Rui Vitória apresentou algumas novidades na equipa titular que, mediante o que tinha sido a pré-época, pouco o faziam prever. Nélson Semedo foi o titular na lateral direita - nada contra ele ser titular -, mas durante a pré-época, em 5 jogos, fez apenas um a titular e outro em que jogou meia hora. Faz pouco sentido não dar mais minutos a um jogador que poderia ser titular e dar-lhe mais oportunidades nos jogos amigáveis. Assim, lançou-se o jogador da forma errada. Ola John também foi titular nesse jogo, mas durante a pré-época fez apenas um jogo a titular - saindo ao intervalo -, entrou depois em 3 deles na 2ª parte e no último nem jogou. Talisca jogou no apoio ao avançado, onde apenas tinha jogado uma vez nos jogos amigáveis. Jonathan que tinha somado vários minutos nem entrou, e Gonçalo Guedes que jogou 58 minutos em 5 jogos, foi uma das opções a sair do banco.

 

Na 1ª jornada da Liga NOS, continuamos com Ola John a titular. Talisca passa para o banco e Gonçalo Guedes volta a ser suplente utilizado. Samaris passa de um dos jogadores mais utilizados para o de nem do banco sair. Porém, entra aqui uma nova variante na equação - Victor Andrade. O extremo brasileiro que nem a pré-época tinha feito com a equipa principal, é o primeiro a ser chamado para entrar no jogo na 2ª parte. Segue-se o jogo contra o Arouca. Samaris volta para a equipa titular e Fejsa que tinha sido titular nos dois jogos oficiais da temporada, nem do banco sai. Ola John continua a titular, mas sai ao intervalo, entrando Victor Andrade para o seu lugar. Gonçalo Guedes passa de suplente utilizado nos dois jogos anteriores para nem no banco estar.

 

Na 3ª jornada da Liga NOS recebemos em casa o Moreirense. Victor Andrade é titular pela primeira vez, mas sai ao intervalo para entrar Gonçalo Guedes - o tal que nem no banco tinha estado no jogo anterior. Ola John não sai do banco de suplentes, enquanto Carcela nem no banco está, depois de ter sido uma das opções no jogo anterior. Na 4ª jornada, o Benfica tem a melhor exibição da época. Quanto à equipa, temos Gonçalo Guedes a titular, Ola John que tinha sido titular em 3 dos 4 jogos oficiais, é emprestado(?) ao Reading, Victor Andrade não sai do banco e é Nuno Santos que até então nunca tinha sido opção que entra no jogo. Entretanto, Talisca é titular depois de 3 jogos no banco.

 

No jogo seguinte, recebemos o Astana e não há nada a assinalar. Na 5ª jornada do campeonato, o Benfica desloca-se ao Estádio do Dragão. André Almeida é titular depois de ter 0 minutos oficiais na época. Victor Andrade já nem ao banco vai, voltando para a equipa B. Até chegar a paragem para as selecções, defrontámos o Paços de Ferreira em casa e o Atlético de Madrid fora de casa, não havendo grandes mudanças a assinalar.

 

O primeiro jogo depois da paragem é contra o Vianense para a Taça de Portugal. Como é natural, existiram várias mexidas. Sílvio é titular do lado direito, já que Nélson Semedo se lesionou na Selecção Nacional. Carcela joga a titular, assim como Nuno Santos. Quem volta é Victor Andrade, que depois de nem convocado ser na equipa principal e estar a jogar na equipa B, é o primeiro a sair do banco. No jogo seguinte, a equipa desloca-se à Turquia para defrontar o Galatasaray. Nuno Santos e Carcela que tiveram a oportunidade de se mostrar contra o Vianense e que não estiveram mal, nem no banco estão. Já Victor Andrade volta a ser opção, entrando na 2ª parte.

 

No jogo seguinte recebemos o Sporting para o campeonato. O jogo como todos sabemos corre mal. Eliseu sai ao intervalo, Victor Andrade não sai do banco e Carcela nem na ficha de jogo aparece. Depois da derrota, mais uma revolução contra o Tondela. Eliseu passa de titular para a bancada. Talisca que andava a nem sair do banco, é titular. Sílvio passa para a esquerda da defesa, enquanto André Almeida vai de titular desde o jogo conta o Porto para suplente. Victor Andrade já desapareceu da equipa mais uma vez, voltando agora Carcela, que é um dos suplentes utilizados. O mais incrível neste jogo, é a chamada de Clésio para a convocatória. Se já estar convocado era algo surpreendente e chocante, então ser titular a lateral direito ainda foi mais. Falamos de um jogador que é extremo/avançado e que nem na equipa B jogava com o mínimo de regularidade. Inacreditável.

 

No jogo seguinte, recebemos em casa o Galatasaray na 4ª jornada do Grupo C da Liga dos Campeões. Clésio não pode ser convocado, já que nem inscrito na Liga dos Campeões estava. Eliseu volta da bancada para ser titular, voltando Sílvio para a lateral direita da defesa. André Almeida é titular no lugar do castigado Samaris - decisão natural e compreensível. Carcela volta a ter oportunidade de entrar. No último jogo realizado, recebemos o Boavista em casa na 10ª jornada do campeonato. André Almeida dá naturalmente o lugar de volta a Samaris e Carcela é novamente suplente utilizado. Clésio, o tal que na última jornada da Liga foi titular na equipa principal, é durante este fim-de-semana suplente de um outro jogador adaptado a lateral na equipa B – sem palavras. Nuno Santos nunca mais apareceu depois do jogo contra o Vianense.

 

Não consigo perceber esta constante rotatividade ou o que lhe queiram chamar. Isto é o felling do momento e o decidir por impulso ou o fruto do trabalho continuado ao longo das semanas e o planeamento? Parece-me naturalmente o impulso e o feeling do momento. Claro que não estou a defender que joguem sempre os mesmos, que não existam mudanças ou rotatividade na equipa, mas elas têm de ser feitas com o mínimo de critério. É que vemos alguns jogadores a aparecerem e desapareceram sem se perceber o porquê, depois para outros há oportunidades e paciência, enquanto que alguns nem sabem o que isso é. O plantel não é o melhor, mas continuar com esta política de escolhas ainda faz com que a equipa esteja mais instável.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:35


20 comentários

De Reinaldo a 18.11.2015 às 12:58

". Depois da derrota, mais uma revolução contra o Tondela. Eliseu passa de titular para a bancada. Talisca que andava a nem sair do banco, é titular. Sílvio passa para a esquerda da defesa, enquanto André Almeida vai de titular desde o jogo conta o Porto para suplente. "

O jogo que se seguia a este (Tondela) era contra o Galatasaray. O Fejsa estava lesionado e o Samaris castigado. Estando os dois impedidos de jogar contra os turcos, o Vitória fez descansar o André Alemida que seria titular no meio-campo. Acho que a lógica também se aplica ao Eliseu que estava visivelmente a precisar de repouso antes de um jogo importantíssimo. O porquê de ter descansado na bancada é que já não sei.

Cumprimentos e bom trabalho,

Reinaldo

De P1nheir8 a 18.11.2015 às 23:08

Boas Reinaldo,

Sim, concordo que em parte possa ter sido devido a essas questões, mas quanto ao Eliseu não concordo muito. Não foi para ele ter descanso, já que tinha saído ao intervalo contra o Sporting e a equipa teve quase uma semana de descanso. Acho que foi algo bem mais que isso. Para ele e para o Almeida, por exemplo. Já que viram um jogador da equipa B sem rotinas ou minutos entrar assim na equipa.

Obrigado e cumprimentos.

De Red Armay Officer a 18.11.2015 às 13:57

http://forumluz.blogspot.pt/ Posso pedir uma troca de links? Este já está linkado no meu espaço! AB

De P1nheir8 a 18.11.2015 às 23:09

Feito.

Cumprimentos.

De Pedro a 18.11.2015 às 14:05

Olá, em primeiro lugar os meus parabéns pelo trabalho excelente que estão a desenvolver.

Desde o inicio de época que tenho lido os vossos artigos com muita atenção.
Gostaria de saber a vossa opinião sobre vários assuntos em forma de resposta ou como sugestão para um novo artigo:

1. Quais as posições mais carenciadas do plantel que deveria ser reforçadas a curto prazo?

2.Qual o perfil dos jogadores que se deveria ser tido em conta para reforçar estas mesmas posições?

3. Qual o melhor sistema tático para se usar neste momento? Porquê?

4. Que soluções de treinadores poderíamos ter caso LFV deixasse cair RV? Quais as melhores e porquê?

Fica a sugestão.

Abraço

De P1nheir8 a 18.11.2015 às 23:22

Olá Pedro,

Obrigado pelo comentário. :) Vou responder por mim e não pelo blogue, já que fui eu que escrevi o artigo.

1 - Lateral esquerdo e médio centro são as que têm de ser mais rapidamente reforçadas.

2 - Precisam de ser jogadores que tenham rendimento no imediato e não a contratar apenas como uma solução de futuro, porque dessas existem no Benfica. (Provavelmente sairá um artigo até ao fim do ano com nomes caso se justifique)

3 - Em minha opinião, a táctica é uma coisa que pouco interessa neste momento. O problema da equipa são as ideias em campo, a dinâmica, o jogo que o colectivo que se consegue criar, o pouco rendimento que se consegue de alguns jogadores, etc. Por tudo isto e mais algumas coisas, neste momento a táctica é indiferente, já que mesmo que se mude o posicionamento dos jogadores em campo, as coisas continuarão mal, já que os problemas serão os mesmos.

4 - Eu acho que Rui Vitória não sai do comando técnico da equipa, pelo menos até final da época. Quanto aos nomes. Muita gente não gosta e está marcado pelo falhanço no Porto, mas gosto muito do Paulo Fonseca. Depois temos o Vítor Pereira que credito que fosse ter sucesso no Benfica, mas as questões serão sempre outras, depois da forma como ele era no Porto. Paulo Sousa, Leonardo Jardim ou Marco Silva não me parece que agora voltem para Portugal. Nomes estrangeiros, gostaria muito do Lucien Favre, que agora até está livre. O mais certo é ser um Paulo Bento caso o Rui Vitória saia da equipa.

Se alguma coisa mudar entretanto, escreverei um artigo, caso se justifique.

Abraço.

De Ricardo Fernandes a 18.11.2015 às 14:29

Eu acho que há aqui um pormenor a ter em conta e não sei se está a ser considerado. Parece-me que o modelo de jogo e a quantidade de miúdos que tem sido lançados por impulso ou não, estão a ser uma exigência da direcção do Benfica. Creio que só assim se justifica a velocidade a que são lançados. Ter montra, para poder vende-los nos negócios 15 do Mendes.

Não se percebe o ostracismo a jogadores que até nem estiveram assim tão mal no pouco tempo que jogaram da pré-temporada. Casos de Djuricic, ou de Cristante.

E não creio que o Rui Vitória, seja assim tão idiota que não perceba que realmente não joga grande coisa , comparativamente com anos anteriores.

De P1nheir8 a 18.11.2015 às 23:26

Boas Ricardo,

Muita gente não acredita, mas os empresários têm mais força do que deviam nas escolhas da equipa.

Claro que a direcção quer jogadores jovens na equipa principal, mas isso poderia ser feito com mais critério e escolhas com o mínimo de justificação. É que assim, é o lançar por lançar. Se correr bem, impecável, se correr mal, aparece logo outro. E andamos assim. Eles não percebem é que por muita qualidade que os jovens tenham, isto não lhes faz bem.

Cumprimentos.

De Joe Parsons a 18.11.2015 às 17:17

Na minha humilde opinião de religiosamente Benfiquista, o Rui Vitória parece estar (ainda) em fase de adaptação a uma equipa que se habituou a jogar num sistema solidificado durante seis épocas. Das duas, uma: ou o Rui Vitória se adapta, ao mesmo tempo que vai introduzindo aspectos da sua própria filosofia de jogo, ou então faz "ctrl+alt+del" e assume o trabalho de "mudar o chip" à equipa. Para qualquer das opções é preciso tempo, tempo esse que deve andar de braço dado com apoio constante de todo e qualquer Benfiquista.

De bcool973 a 18.11.2015 às 23:25

Caro Joe Parsons,

Não que o Pinheiro precise de defesa, mas se acompanhar as diferentes análises tácticas feitas aos jogos aqui no blog pelo Pinheiro, perceberá as críticas ao treinador.

Quanto à rotatividade, há coisas que não fazem mesmo sentido, mesmo para quem não está no grupo - Clésio e Victor Andrade são os maiores mistérios. Mas maior surpresa é a aposta nestes jogadores em vez de se olhar para um jogador como o João Carvalho, que em termos potenciais é do nível do Bernardo Silva.

Infelizmente e à semelhança do Bernardo, não sei se é só uma questão de empresários, mas acima de tudo, um preconceito quanto ao tipo de futebol que praticam e que normalmente só é valorizado quando já saíram. Até lá ouvimos que são jovens, que fisicamente não têm capacidade, que o Benfica não joga com um 10 e não têm rotatividade para 8 e outras parvoíces do género.

O apoio ao Benfica é devido nos estádios onde a equipa joga. Na internet pode-se analisar, discutir, questionar e sobretudo criticar, sem que tal corresponda a um qualquer menos apoio ao clube. Pois todos somos benfiquistas e todos queremos que o Benfica ganhe. Identificar os pontos fracos só pode servir para melhorar.

Pinheiro, um abraço e boa continuação de análises

De P1nheir8 a 18.11.2015 às 23:36

Boas bcool973

Sou grande fã do Joãozinho e vai sair um artigo sobre ele aqui no blogue, assim que conseguir ter material e tempo para isso. É um craque e tem um QI futebolístico muito acima de qualquer um que esteja no CFC. Um craque. Já existiu tempo em que não jogava por ser pequeno e fraco fisicamente, mas felizmente que isso mudou a tempo. Para jogadores como ele e o Bernardo, não pode haver o problema da táctica. Têm de jogar e de ser arranjado espaço para eles. São especiais.

Outro de quem gosto muito é o Pedro Rodrigues. Precisa de ser aposta na equipa B e jogar os jogos todos. Tem muita qualidade.

Quanto ao resto do comentário, totalmente de acordo e também estava a escrever a minha resposta. :)

Abraço.

De Anónimo a 19.11.2015 às 06:30

Tenta estar atento a um juvenil baixinho que anda por la, ve bem o que faz, e depois volta a falar de qi futebolistico ou qq coisa assim.

Assombroso.

Mas sim, o Carvalho sabe tudo do jogo


Dennis Bergkamp

De P1nheir8 a 19.11.2015 às 10:48

Jordan van der Gaag? Dos juvenis, tenho gostado bastante do Filipe Soares.


De Anónimo a 19.11.2015 às 20:22

Juvenis B, mas também gosto muito do Jordan. A geração de 99 é maravilhosa

Bergkamp

De P1nheir8 a 20.11.2015 às 02:33

Tiago Dantas? Este ano não tenho conseguido acompanhar muito os Juvenis e Iniciados, tenho aqui alguns jogos para ver um dia destes quando tiver mais tempo e preparar algo para o blogue. Tenho conseguido ver mais os Juniores e equipa B.

De Cosimo Damiano a 21.11.2015 às 12:47

José Gomes. Maravilhoso. E deviam esconde-lo ou não fica aqui por muito! :)

De Edgar a 30.11.2015 às 17:40

Fogo, P1nheir8, estas frases resumem o que eu venho a pensar desde o Miguel Rosa (a um nível menos fervoroso) até ao Bernardo Silva:

"Para jogadores como ele e o Bernardo, não pode haver o problema da táctica. Têm de jogar e de ser arranjado espaço para eles. São especiais."

Circula contudo que o Bernardo exigiu jogar. Se é verdade, fico muito triste por saber isso. Mas um miúdo como ele que fala e respira Benfica, não consigo acreditar nisso.

De P1nheir8 a 18.11.2015 às 23:30

Boas Joe Parsons,

O sistema que temos jogado, é o mesmo dos últimos 6 anos, mas para pior. Por muito que seja preciso tempo, em mais de 4 meses as coisas deveriam ser diferentes. Até poderiam não estar na mesma a não correr bem, mas as ideias teriam de ser ver em campo. Assim, andamos desde o inicio da época com os mesmos problemas. E estamos em Novembro, Rui Vitória nunca pode estar indeciso em relação a essas questões com quase 5 meses de treinos e jogos.

Isto apenas são críticas ao que está mal, não é desejar mal ao treinador. Só vendo os erros se pode melhorar, e, eu, assim como todos, quero que ele tenha sucesso, mas assim é difícil acreditar.

Abraço.

De Nuno a 19.11.2015 às 00:10

Este blog para mim já é uma referência. SOBERBO. Continuem assim.

De P1nheir8 a 19.11.2015 às 01:28

Obrigado, Nuno. :)

Abraço.

Comentar post








Sobre nós

Do futebol ao hóquei, do basquetebol ao voleibol, uma visão livre, imparcial e plural do Sport Lisboa e Benfica.



Contacte-nos por e-mail


Licença Creative Commons


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D