Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Basquetebol 2015/2016

por Miguel Martins, em 24.08.15

 

Após uma época fantástica em termos de resultados, o Benfica procedeu a alguns reajustes no plantel da sua equipa de Basquetebol.

Saíram os fantásticos Jobey Thomas - que terminou a carreira - e Seth Doliboa. Foram dois jogadores que marcaram os Benfiquistas com toda a sua qualidade, dedicação e títulos. Jobey, era mesmo de muito longe o melhor jogador em Portugal. Saíram também Ronald Slay que esteve cá uma época, Fábio Lima que teve uma fugaz passagem pelo Benfica e Artur Castela, um jovem oriundo da formação que foi cedido ao Galitos.

Para suprimir estas saídas, o Benfica fez primeiramente um ataque ao mercado nacional. Do Barcelos chegam o base/extremo Nuno Oliveira e o extremo/poste Marko Loncovic. Nuno Oliveira é um internacional português que tinha vindo a ser um dos destaques da nossa liga. Loncovic foi também um dos melhores jogadores da época passada e chega após obter a nacionalidade portuguesa.

Do mercado internacional, vemos chegar Jeremiah Wilson, oriundo do Denizli da Turquia e que pode jogar a extremo ou poste. Vem com o rótulo de ser um bom ressaltador e um lançador claramente acima da média, sendo também fisicamente muito forte e rápido.

O outro jogador americano contratado, foi uma bomba no mercado de transferências da nossa liga. Trata-se do jogador com maior currículo que já passou por Portugal, um jogador com passado recente na NBA, que jogou inclusivamente uma final, tendo vencido também o concurso de lançamentos triplos do All Star Game. Falo de Daequan Cook, um base/extremo que vem do SPO Rouen Basket da Liga Pro-A Francesa e que foi o 3º melhor marcador da prova. Este será o jogador da liga e o legitimo herdeiro de Jobey.

Da época passada, mantém-se Carlos Lisboa e restante equipa técnica . Ficaram também no plantel o capitão Diogo Carreira, Tomás Barroso, Mário Fernandes e Diogo Gameiro para a posição de base, Carlos Ferreirinho para base/extremo, Carlos Andrade e João Soares para extremos, Gentry e Cláudio Fonseca para postes.

Olhando para este plantel, salta à vista não estarem totalmente preenchidas as vagas de americanos - temos espaço para mais um - e a de comunitário não é preenchida também. O Benfica poderia optar por tentar trazer mais um poste, alguém que fosse capaz de trazer os centímetros que na Europa podem marcar a diferença, mas neste momento essa opção ficou colocada de parte, sabendo que o mercado fecha apenas em Janeiro. Nessa luta das tabelas, já sabemos que de Gentry podemos esperar muita regularidade, entrega e defesa de grande qualidade. Cláudio Fonseca tem de se assumir como opção válida, para isso tem de mostrar mais vontade, mais garra, mais empenho, já que aquilo que mostra na maioria das vezes é curto. Tem capacidade para mais, muito mais, e apenas depende dele.

Depois de uma época onde fomos capazes de ganhar os 5 troféus oficiais em Portugal, o Benfica tem a difícil missão de repetir a mesma dose, sabendo que o grande rival está de volta e tentará quebrar essa hegemonia.

Por que o Benfica é mais do que futebol, tudo aos pavilhões!!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:20


1 comentário

De Tiago Gomes a 24.08.2015 às 17:42

Tendo em conta que o vice-presidente para as modalidades já disse que o plantel está fechado e a vaga para o terceiro americano não será preenchida (que é completamente válido tendo em conta o potencial esforço financeiro que terá sido feito com o daequan cook) o plantel será o seguinte:

Base: Mário Fernandes, Tomás Barroso, Diogo Gameiro;
Base/Extremo: Cook, Nuno Oliveira, Carlos Ferreirinho;
Extremo: Carlos Andrade, João Soares;
Extremo-Poste: Jeremiah; Marco Loncovic;
Poste: Gentry, Claudio Fonseca.

Sendo as primeiras opções em cima descritas as potenciais titulares. Creio que, em relação ao ano passado, e mesmo tendo em conta a qualidade do Jobey Thomas e do Slay estamos melhor servidos este ano já que o Cook é mesmo muito bom.

Estou muito confiante para esta época. Para conseguirmos ir longe na europa penso que seja mais dificil mas aos poucos e com a experiencia já acumulada podemos chegar lá.

Abraço e continuação de bom trabalho.

Comentar post








Sobre nós

Do futebol ao hóquei, do basquetebol ao voleibol, uma visão livre, imparcial e plural do Sport Lisboa e Benfica.



Contacte-nos por e-mail


Licença Creative Commons


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D